São Paulo Caso Lara: laudo aponta presença de sangue em carro de suspeito

Caso Lara: laudo aponta presença de sangue em carro de suspeito

Exame pericial detectou presença de sangue no veículo, e polícia busca agora descobrir se é de fato sangue humano

  • São Paulo | Do R7, com informações do Cidade Alerta, da Record TV

Wellington de Queiroz, suspeito de matar a menina Lara

Wellington de Queiroz, suspeito de matar a menina Lara

Reprodução/Record TV

Um laudo pericial confirmou a presença de sangue no carro de Wellington Galindo de Queiroz, o principal suspeito de ter matado a menina Lara Nascimento, de 12 anos, em Campo Limpo Paulista, em março. Segundo informações do repórter Bernardo Armani, do Cidade Alerta, a polícia confirmou ter encontrado sangue no veículo, e agora investiga se é de fato sangue humano. Caso confirmado, os investigadores vão apurar se é sangue de Lara.

Wellington foi flagrado por câmeras de segurança dirigindo na região onde Lara foi vista pela última vez, uma área rural de Campo Limpo Paulista. O carro foi apreendido. A Justiça já determinou a prisão preventiva de Wellington, que é considerado foragido. 

Pistas

Quase três semanas após o corpo de Lara Maria Nascimento ter sido encontrado em Campo Limpo Paulista (SP), a polícia de São Paulo continua buscando o responsável pelo crime e as motivações para o assassinato.

Um laudo já apontou a causa da morte: traumatismo cranioencefálico causado por agente contundente. O laudo revelou que a menina sofreu quatro golpes na cabeça, possivelmente com objetos como um martelo ou picareta. No entanto, não havia sinais de violência sexual.

A polícia tem outras pistas recentes ainda sem respostas, que mobilizam parte das diligências da investigação. Confira:

Suspeito de fato viajou para Pernambuco?

Os investigadores apuram se Wellington Queiroz, considerado foragido da Justiça, de fato viajou para Pernambuco.

A hipótese de o suspeito ter deixado São Paulo já era considerada e foi corroborada por um áudio em que ele pede um pagamento por Pix a uma cliente e comunica a ela que estaria em Pernambuco.

Homem que tentou sequestrar menina na mesma região tem a ver com o crime?

Um homem invadiu uma residência no bairro de Botujuru, muito próximo à casa da família de Lara, e tentou sequestrar uma menina de 10 anos, chamada Maria Julia.

Após os gritos e pedidos de socorro, ele fugiu do local, e até agora não foi encontrado.

Os familiares de Maria Julia receiam que o caso tenha relação com o assassinato de Lara. Thais, a mãe, disse que teme que haja um maníaco aterrorizando crianças na região.

A Polícia Civil também investiga o crime, registrado em boletim de ocorrência como violação de domicílio.

Perícia na casa onde suspeito morou

Uma perícia foi feita na casa em que Wellington vivia. No local, um buraco foi encontrado. Luana, a mãe de Lara, relatou que o laudo médico afirma que a morte da menina ocorreu 12 horas depois do seu desaparecimento.

Assim, a perícia deve revelar se a menina foi mantida no buraco durante esse período.

Relação do suspeito com a proprietária do carro

O carro prata utilizado pelo principal suspeito do crime pertencia, na verdade, a uma mulher. Ela disse que não o conhecia e apenas emprestou o veículo a Wellington.

No entanto, a investigação também considera a hipótese de que a proprietária do automóvel seja esposa do suspeito.

DNA das unhas

Um material de DNA encontrado nas unhas de Lara pode apontar quem foi o assassino da menina de 12 anos. O resultado da perícia ainda é desconhecido.

Últimas