São Paulo Caso Mércia Nakashima: STJ revoga prisão domiciliar de Mizael

Caso Mércia Nakashima: STJ revoga prisão domiciliar de Mizael

Condenado a 22 anos e 8 meses pelo assassinato da ex-namorada em 2010, ele obteve o benefício após alegar ser do grupo de risco para covid-19

  • São Paulo | Do R7

Mizael Bispo foi condenado a 22 anos de prisão

Mizael Bispo foi condenado a 22 anos de prisão

Reprodução/Record TV

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) revogou a liminar que autorizava Mizael Bispo de Souza a cumprir a pena em prisão domiciliar. A decisão foi publicada nesta quarta-feira (2), em resposta a agravo regimental apresentado pelo MPF (Ministério Público Federal).

Mizael foi condenado a 22 anos e 8 meses de prisão pelo assassinato da ex-namorada Mércia Nakashima, em 2010. 

A prisão domiciliar foi concedida em agosto pelo relator do caso e mantido no julgamento de mérito do habeas corpus, em novembro. A justificativa é que o condenado pertence ao grupo de risco de infecção pelo novo coronavírus.

A defesa, na ocasião, argumentou que Mizael é portador de várias comorbidades, como: pressão alta, colesterol, arritmia cardíaca, depressão, ansiedade, sinusite e rinite crônicas. "O Mizael foi avaliado pelo médico da unidade prisional no qual ratificou que o mesmo realmente faz parte do grupo de risco", complementou o advogado Raphael Abissi Bhichara Abi Rezik.

O MPF alegou, no entanto, que a Penitenciária II de Tremembé (SP), onde Mizael cumpria pena, não está superlotada e que adota as medidas recomendadas contra a disseminação da doença.

Últimas