São Paulo Champinha lidera rebelião e faz agente de saúde refém em SP

Champinha lidera rebelião e faz agente de saúde refém em SP

Grupo se trancou na enfermaria da Unidade Experimental de Saúde e reivindicava mais direitos e comodidade na reclusão 

  • São Paulo | Do R7

Champinha lidera rebelião e faz agente de saúde refém em SP

Champinha lidera rebelião e faz agente de saúde refém em SP

Reprodução/Record TV

O detento Roberto Aparecido Alves Cardoso, o Champinha, liderou uma rebelião em uma Unidade Experimental de Saúde, administrada pela Secretaria de Saúde e Secretaria de Administração Penitenciária, na madrugada desta quarta-feira (4), na zona norte de São Paulo. As informações são da Record TV.

Acompanhado de outros dois detentos, o líder fez um enfermeiro refém ameaçando-o com um espeto. O grupo se trancou na enfermaria do local para reivindicar mais direitos e comodidade na reclusão.

Leia também: Champinha deve estuprar outras mulheres se for solto, diz promotora

Champinha ficou conhecido pelo sequestro e morte do casal, Liana Friedenbach, na época com 16 anos, e Felipe Caffé, que tinha 19, em 2003. Liana ainda foi abusada várias vezes pelo próprio Champinha e os comparsas. Quando foi preso, Champinha era menor de idade e foi para as dependêncidas da Fundação Casa, onde poderia permanecer por até três anos.

Leia também: STJ nega pedido de liberdade a Champinha

Porém, passado esse perídodo, o Ministério Público pediu sua interdição civil. Considerado sem capacidade psicológica de conviver em sociedade por sofrer de distúrbios mentais e desvio de caráter, a Justiça acatou o pedido do Ministério e ele foi encaminhado para a unidade experimental de saúde, administrada pela Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. A unidade é exclusiva para infratores com distúrbios mentais. 

A rebelião já chegou ao fim e o enfermeiro foi resgatado sem nenhum dano de saúde. Em nota, a SES-SP (Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo) informa que o tumulto foi controlado em menos de meia hora e que os atendimentos multidisciplinares aos internos seguem sem qualquer anormalidade. Esclarece, ainda, que não pode divulgar qualquer detalhe sobre os internos lá atendidos por questões de segurança e porque as informações são mantidas sob sigilo de Justiça.

Assista ao vídeo com imagens exclusivas da Record TV:

Últimas