São Paulo Chega a 12 número de mortos na Baixada Santista após temporal

Chega a 12 número de mortos na Baixada Santista após temporal

De acordo com Defesa Civil, duas pessoas estão desaparecidas. Apenas em Santos, foram ao menos 70 ocorrências, como deslizamento de terra

  • São Paulo | Do R7, com informações de Vânia Souza, da Agência Record

Santos foi castigada pelo temporal e as ruas da cidade continuam alagadas

Santos foi castigada pelo temporal e as ruas da cidade continuam alagadas

Reprodução Record TV

Subiu para 12 o número de mortes após as fortes chuvas que caíram sobre a região da Baixada Santista na madrugada desta terça-feira (3). Os óbitos ocorreram nas cidades de Guarujá e Santos, de acordo com a Defesa Civil do Estado de São Paulo. Segundo o Corpo de Bombeiros, há 46 pessoas desaparecidas após serem soterradas por deslizamentos de terra na região. Três desaparecimentos foram registrados em São Vicente.

Só em Guarujá houve 11 mortes e 32 desaparecimentos. Uma das vítimas fatais foi um bombeiro que morreu vítima de soterramento. A Defesa Civil informou que a morte aconteceu no Morro do Macaco Molhado quando houve um novo deslizamento de terra quando ele trabalhava no resgate de moradores soterrados.  Segundo o Corpo de Bombeiros, ele sofreu parada cardiorrespitatória e não resistiu. Um outro bombeiro está sob os escombros. No município, há 200 pessoas desabrigadas. 

Santos

Na cidade de Santos, houve uma morte e 11 pessoas estão desaparecidas. Ao todo, foram registradas 70 ocorrências ligadas ao temporal.

O município tem 17 morros. Houve deslizamentos nos de Santa Maria, São Bento, Vila Progresso e Monte Serrat. Muitos moradores abandonaram as casas. A prefeitura distribuiu lonas plásticas para moradores de imóveis afetados. Foram disponibilizadas 4,6 toneladas de materiais de ajuda humanitária (colchões, cobertores, cestas básicas, água sanitária e água potável).

As ruas estão tomadas por lama e retroescavadeiras removem entulhos das vias. São 100 bombeiros trabalhando em 29 viaturas.

Leia mais: Deslizamentos e quedas de barreira interditam rodovias para o litoral

A Secretaria de Educação suspendeu as aulas em unidades de ensino devido às dificuldades de acesso. A escola Terezinha de Jesus Pimentel, no Morro de São Bento, está funcionando como ponto de acolhida para os desabrigados.

Atendimento

A Defesa Civil Estadual já mobilizou um total de 80 homens no atendimento aos municípios impactados pelas fortes chuvas. As equipes estão concentradas nos locais com registros de deslizamentos e também no Centro de Gerenciamento de Emergência da Defesa Civil, na capital paulista.

Pelas redes sociais, o governador de São Paulo, João Doria, lamentou as mortes: "Minha solidariedade aos moradores da Baixada Santista que sofrem com as fortes chuvas. Temos 1 herói do Corpo de Bombeiros entre as vítimas. A Defesa Civil, Bombeiros e PM estão dando suporte às prefeituras".

De acordo com dados do Núcleo de Gerenciamento de Emergência da Defesa Civil do Estado, o acumulado nas últimas 12 horas de chuvas no Guarujá foi de 282 milímetros, em Santos de 218 mm, em Praia Grande 170 mm, São Vicente 169 mm e Mongaguá 160 mm, Cubatão 132 mm e Itanhaém e Bertioga o acumulado foi de 110 mm.

Veja também: Motorista de caminhão morre ao cair em cratera de rodovia

Segundo o governo, o coordenador estadual da Defesa Civil, coronel Walter Nyakas Junior, está na região para se reunir com prefeitos, avaliar a situação e definir quais são as primeiras necessidades.

Previsão do tempo

A previsão para esta terça-feira é de chuva moderada a forte em todo o litoral de São Paulo devido à formação de uma área de baixa pressão e à circulação dos ventos nos altos níveis da atmosfera.

Leia ainda: Moradores reivindicam liberação de moradias e bloqueiam estrada de SP

Vítimas atendidas

A Secretaria de Saúde de Santos informou que o SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) realizou, até o momento, sete atendimentos relacionados às chuvas, entre eles a ocorrência da morte de uma mulher de 30 anos, vítima de deslizamento no Morro do Tetéu.

Outros três pacientes graves foram levados à Santa Casa, hospital de referência regional em ortopedia e traumatologia. Uma menina de 7 anos, do Morro São Bento, teve múltiplos ferimentos e está internada na UTI pediátrica do hospital. Já a mãe dela, de 39 anos, teve alta após avaliação da equipe multiprofissional. Também um homem de 43 anos, morador da Caneleira, estava com múltiplos ferimentos e vai ficar internado no hospital.

O SAMU ainda levou para a UPA Central uma mulher de 48 anos, moradora do Morro do Saboó, vítima de soterramento. Ela passou por avaliação médica, exames de raios-X e não foram encontradas fraturas. Com escoriações leves, teve alta no início da manhã. Outras duas mulheres de 52 e 73 anos, moradoras do Morro São Bento, foram levadas para avaliação na UPA após ficarem desabrigadas. Elas não tiveram ferimentos.

Últimas