CPI das fake news convoca Twitter, Facebook, Whatsapp e Youtube

Requerimento aprovado pela Alesp pede que representantes das plataformas expliquem como tratam o problema e que medidas estão sendo adotadas

Reunião da Alesp ocorreu nesta sexta-feira (17)

Reunião da Alesp ocorreu nesta sexta-feira (17)

Divulgação/Alesp

Representantes das redes sociais Facebook, Twitter, WhatsApp e do YouTube foram convidados a comparecer à CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) das fake news da Alesp (Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo), que investiga a disseminação de notícias falsas nas eleições de 2018. A convocação foi confirmada após reunião entre deputados da Alesp nesta sexta-feira (17), presidida pelo deputado Caio França (PSB).

No texto, o deputado Edmir Chedid (DEM) solicita que representantes das quatro redes sociais sejam convocados à CPI para “explanarem sobre como o problema das 'fake news' vem sendo tratado por estas plataformas digitais e quais medidas estão sendo adotadas para combater a disseminação de notícias falsas”. 

Veja também: Moraes autoriza PF a acessar dados apagados pelo Facebook

O requerimento de Chedid, datado de 30 de junho, foi aprovado por unanimidade entre os deputados.

Durante a reunião, o deputado Paulo Fiorilo (PT) requereu relatórios de usuários e contas suspensas ou apagadas da rede durante o período eleitoral de 2018 e em julho de 2020.