São Paulo Criança que morreu afogada em excursão de escola se alimentou antes de nadar, diz mãe

Criança que morreu afogada em excursão de escola se alimentou antes de nadar, diz mãe

Mulher teria sido avisada por aluno que a filha autista estava se afogando. Socorrida, ela foi levada a uma UPA, mas não resistiu

  • São Paulo | Isabelle Amaral*, do R7

Emanuele estava na piscina do clube quando começou a se afogar

Emanuele estava na piscina do clube quando começou a se afogar

Reprodução

A mãe de Emanuele Aisha dos Santos, de 7 anos, que morreu afogada durante uma excursão com a escola na tarde de terça-feira (25), em Cotia, na região metropolitana de São Paulo, disse à polícia que a criança havia acabado de comer quando entrou na piscina.

A informação consta no boletim de ocorrência feito pela polícia, mas ainda não é possível confirmar que o fato de ter feito uma refeição antes de nadar tenha contribuído com a tragédia.

Apesar de ser um passeio escolar, a mulher, identificada como Celidalva Sena dos Santos, precisou acompanhar a excursão porque a filha era autista e tinha surdez leve.

O acidente ocorreu por volta das 12h45 no Clube Thermas da Mata, que havia sido fechado exclusivamente para os alunos da Escola Municipal Turiguara, onde a Manu, como era chamada carinhosamente pelos professores, estudava.

De acordo com o boletim de ocorrência, Celidalva não estava perto da filha quando ela começou a se afogar. A mulher teria sido informada que a menina estava se afogando por outra criança da escola.

A mãe presenciou o momento em que Emanuele foi atendida por socorristas do clube e, em seguida, encaminhada a uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento). Apesar dos esforços, a menina chegou ao local sem vida.

Em uma publicação nas redes sociais, a escola da menina afirmou que todos estão "profundamente abalados com o que aconteceu".

"Infelizmente, o que era para ser um dia de alegria, sorrisos e diversão termina com lágrimas e tristeza", escreveu o colégio.

Os responsáveis pela menina e os coordenadores da excursão foram encaminhados à delegacia para esclarecer as circunstâncias da morte.

Agora, a polícia aguarda os resultados da perícia e dos exames do IML (Instituto Médico Legal) para confirmar as causas do afogamento e concluir o inquérito.

* Estagiária do R7 sob supervisão de Raphael Hakime

Últimas