São Paulo Defesa de suspeito de incendiar Borba Gato (SP) aciona STJ

Defesa de suspeito de incendiar Borba Gato (SP) aciona STJ

TJ-SP negou pedido de habeas corpus para o motoboy Paulo Galo no último domingo (8). Outros dois suspeitos também estão presos 

  • São Paulo | Letícia Dauer, da Agência Record

Estátua do Borba Gato foi incendiada em julho

Estátua do Borba Gato foi incendiada em julho

GABRIEL SCHLICKMANN / ISHOOT / ESTADÃO CONTEÚDO - 24.07.2021

A defesa de Paulo Roberto da Silva Lima, conhecido como Paulo Galo, preso suspeito de incendiar a estátua do bandeirante Borba Gato, na zona sul de São Paulo, entrou com pedido de habeas corpus no STJ (Superior Tribunal de Justiça), nesta segunda-feira (9). O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) negou o pedido de HC no domingo (8).

Na última quinta-feira (5), o STJ já havia revogado a prisão temporária de Paulo Galo. No entanto, a Justiça de São Paulo acatou o pedido de prisão preventiva, expedida pelo 11º DP de Santo Amaro, o que fez com que o entregador continuasse preso.

O motoboy está preso no CDP (Centro de Detenção Provisória) do Belém, na zona leste da capital, segundo o advogado Jacob Lozano Filho. 

No pedido de HC impetrado nesta segunda, o advogado afirma "a magistrada de piso realizou - data venia - verdadeira manobra processual, mantendo o paciente preso após a liminar deferida pelo C. STJ enquanto elaborava novo decreto prisional, representando a corriqueira postura do Poder Judiciário do Estado de São Paulo em descumprir decisões emanadas pela Corte Superior".

O advogado Jacob Lozano também faz a defesa do torcedor corintiano Danilo Silva Oliveira, conhecido como Biu. Ele se apresentou, por volta das 16h00, no 11° DP de Santo Amaro, desta segunda-feira (9). Biu também teve seu pedido de HC solicitado ao STJ.

O motorista Thiago Vieira Zem, que fez o transporte dos pneus, saiu da carceragem do 101° Distrito Policial do Jardim Imbuias nesta tarde e também foi transferido para o CDP Belém I.

Últimas