São Paulo Doria elogia PMs em Guararema por 'colocarem bandidos em cemitério' 

Doria elogia PMs em Guararema por 'colocarem bandidos em cemitério' 

Grupo de 25 pessoas tentaram assaltar duas agências bancárias, nesta quarta-feira (4). Houve confronto com a polícia e 11 pessoas morreram

  • São Paulo | Plínio Aguiar, do R7

Governador de São Paulo, Doria elogiou ação de PMs em Guararema

Governador de São Paulo, Doria elogiou ação de PMs em Guararema

Adriana Spaca / Estadão Conteúdo / 18.01.2019

O governador do Estado de São Paulo, João Doria, parabenizou os policiais durante ação que conteve uma tentativa de assalto a agências bancárias em Guararema, a 81 km da capital paulista. O crime ocorreu na madrugada desta quinta-feira (4) e deixou 11 mortos.

"Cumpriram sua missão, de defender cidadão de bem e defender patrimônio, público e privado, agindo contra bandidos. Bandidos que usam escopeta, fuzil e metralhadora não saem para passear, saíram para assaltar e fazer vítimas. Estão de parabéns os policiais que agiram e colocaram no cemitério mais 10 bandidos", afirmou o tucano.

Leia mais: Quadrilha que atacou bancos em Guararema é observada há 9 meses

Um vídeo gravado por câmeras de segurança mostra o momento em que suspeitos invadem agências bancárias. De acordo com a Polícia Militar do Estado de São Paulo, um grupo de cerca de 25 homens realizaram uma tentativa de roubo a duas agências bancárias. As imagens mostram, às 2h50min27s, a entrada de um assaltante ao local. Segundos depois, outro homem também invade o estabelecimento.

Homens armados com explosivos atacaram unidades do Santander e do Banco do Brasil, localizadas no centro da cidade. Depois, entraram em confronto com agentes da Rota (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar).

O tenente-coronel da Rota, Mário Alves, disse que o grupo já cometia assaltos na região metropolitana do Estado. A possibilidade do assalto, que ocorreu na manhã desta quinta-feira, foi informada pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) de Sorocaba, município do interior paulista.

A investigação em curso do Gaeco fez com que a Rota desse início ao patrulhamento em Guararema. Os homens chegaram às agências bancárias por meio de estradas de terra. A Rota chegou a montar campana e realizar rondas, na tentativa de inibir o ataque, mas os homens fizeram outra rota para o assalto. Nesse trajeto, segundo o coronel, houve o primeiro confronto entre os homens e a polícia.

Ao ouvir as explosões, as equipes da Rota foram até o local, onde houve troca de tiros. Segundo o tenente, o grupo portava explosivos, metralhadoras, revólveres e coletes táticos. No total, ocorreram três confrontos com a polícia — um deles na casa de família mantida refém pelos homens. Um dos veículos, segundo o tenente, conseguiu fugir e está sendo procurado pela polícia. O órgão também realiza buscas na mata do município.

Doria disse, ainda, que a ação não foi finalizada. "A operação não terminou. É possível que haja outros integrantes desse bando e a polícia vai atrás", comentou.

Últimas