São Paulo Ex-deputado federal é alvo de operação contra extorsão e lavagem de dinheiro em SP

Ex-deputado federal é alvo de operação contra extorsão e lavagem de dinheiro em SP

São cumpridos dez mandados de busca e apreensão, um deles na casa do presidente do Sindmotoristas, Valdevan Noventa

  • São Paulo | Edilson Muniz, da Agência Record

Policiais cumprem mandados de busca e apreensão na casa de Valdevan Noventa

Policiais cumprem mandados de busca e apreensão na casa de Valdevan Noventa

Reprodução

O ex-deputado federal Valdevan Noventa, presidente do Sindmotoristas, é alvo da Operação Chapelier, para reprimir uma organização criminosa instalada em uma representação sindical dos motoristas e cobradores do transporte coletivo rodoviário da cidade de São Paulo. A ação é coordenada pela 1ª Delegacia Seccional de Polícia nesta sexta-feira (12).

Segundo a investigação do Cerco (Corpo Especial de Repressão ao Crime Organizado), o grupo pratica ameaça, extorsão, apropriação indébita, lavagem de dinheiro e ocultação de bens e capitais em prejuízo dos trabalhadores sindicalizados e, indiretamente, da própria sociedade, já que o transporte, na capital paulista, é subsidiado pelo poder público.

São cumpridos dez mandados de busca e apreensão nas cidades de São Paulo e Taboão da Serra, além de um haras em Arauá (Sergipe).

Participam 52 delegados e policiais civis da 1ª Delegacia Seccional Centro, em 20 viaturas.

Sindmotoristas

Em nota, o Sindmotoristas informou que "a entidade respeita e se coloca à disposição das autoridades para quaisquer atos que se fizerem necessários ao inquérito policial. A diretoria foi surpreendida com a notícia da operação e seu departamento jurídico está acompanhando o caso".

Segundo a entidade, há "eventuais indícios de um inquérito ainda em curso, ao qual nem mesmo os investigados e os advogados tiveram acesso". 

"O Sindmotoristas é um dos sindicatos mais atuantes e comprometidos com a classe trabalhadora do país. E, no que tange à transparência, a entidade tem todas as contas aprovadas em assembleias", explicou.

Últimas