São Paulo Família luta para provar inocência de jovem preso por roubo em SP

Família luta para provar inocência de jovem preso por roubo em SP

Rapaz, de 25 anos, foi detido em casa após ser reconhecido por vítima. Celular roubado e arma do crime não estavam com suspeito

  • São Paulo | Do R7, com informações da Record TV

Breno, de 25 anos, foi preso em casa depois de ser reconhecido por vítima

Breno, de 25 anos, foi preso em casa depois de ser reconhecido por vítima

Reprodução/Record TV

A família do assistente administrativo Breno Gomes da Silva, de 25 anos, preso pelo roubo de um celular, em São Paulo, crime ocorrido na semana passada, luta para provar a inocência do jovem. A defesa deve solicitar um habeas corpus.

O rapaz foi acusado depois de reconhecido pela vítima, uma mulher de 41 anos, que foi ao condomínio fechado onde o jovem mora com a família, na zona norte da capital paulista, cerca de 3h depois do assalto, porque o rastreador do celular teria apontado para o local.

No entanto, o aparelho e a arma que teria sido utilizada no assalto não foram encontrados na casa do suspeito. Mesmo assim, ele foi levado pelos policiais militares para a delegacia.

"Foi ele quem primeiro desceu e abriu o portão [para os PMs]. Prova que ele não deve nada. É um menino que nunca se envolveu nessas coisas", disse Lucia de Fátima Gomes, mãe de Breno.

A vítima teria dito aos PMs que reconheceu Breno como um dos assaltantes assim que o jovem abriu o portão da casa. Na delegacia, ela contou também que foi abordada por dois homens em uma moto. O garupa apontou uma arma para ela e a filha, exigindo o celular.

Ambos os ladrões estavam de capacete e ela disse ter reconhecido sem sombra de dúvidas Breno como o piloto do veículo usado no assalto.

A juíza decretou a prisão preventiva do jovem sob a alegação que ele não tinha trabalho remunerado. Porém, Breno trabalha em uma empresa, com carteira assinada, há cinco anos. Por isso, o crime poderia ser a fonte de renda dele.

"A gente é uma família humilde, honesta. De repente, o nosso mundo desabou", desabafou Luiz da Silva, pai de Breno.

O que dizem as autoridades

A Secretaria da Segurança Pública informou que o suspeito foi preso em flagrante, após ter sido reconhecido pessoalmente pela vítima.

O Ministério Público disse que o promotor também deu parecer favorável à prisão em razão do reconhecimento.

Já o Tribunal de Justiça informou que não se manifestará sobre questões judiciais e que, se há discordância da decisão, cabe recurso previsto na legislação. A defesa deve solicitar um habeas corpus.

Últimas