São Paulo Filho de Alckmin morre em acidente de helicóptero

Filho de Alckmin morre em acidente de helicóptero

Aeronave caiu em cima de uma casa na tarde desta quinta (2) em Carapicuíba, na Grande SP

Filho de Alckmin morre em acidente de helicóptero

O filho do governador Geraldo Alckmin (PSDB), Thomaz Rodrigues Alckmin, 31 anos, está entre as cinco pessoas que morreram na queda de um helicóptero na tarde desta quinta-feira (2) em Carapicuíba, na Grande São Paulo. A aeronave caiu em cima de uma casa na estrada da Fazendinha por volta das 17h.

Thomaz, que era casado com a arquiteta Thais Fanfato, deixa uma filha de dez anos, Isabela, e outra de um mês, Julia. Ele era o caçula dos três filhos do governador de São Paulo com a primeira-dama Lu Alckmin. Além de Thomaz, o casal é pai de Geraldo Alckmin Neto e Sophia Alckmin.

A Seripatri, empresa proprietária da aeronave, afirmou que o "acidente ocorreu durante voo de teste, após a aeronave passar por manutenção preventiva".

Dilma, Aécio e outros políticos lamentam morte de filho de Alckmin

Veja personalidades que morreram em acidentes de helicóptero

O helicóptero, da marca francesa Eurocopter, modelo EC 155, prefixo PPLLS, tinha cerca de quatro anos de uso, com aproximadamente 600 horas de voo e estava com sua documentação e manutenção em ordem, segundo a empresa. 

Thomaz, que era piloto profissional, subiu no helicóptero como tripulante, a convite do piloto Carlos Haroldo Isquerdo Gonçalves, de 53.

Segundo a empresa, o modelo da aeronave 'Single pilot' não possui espaço para um auxiliar. (Uma nota oficial divulgada nesta sexta-feira (3) desmentiu as primeiras informações de que Thomaz Alckmin seria o copiloto do helicóptero no momento da queda)

Inicialmente, a informação divulgada pelos bombeiros era de que o piloto, Carlos Esquerdo, 53, e três mecânicos da empresa Helipark de manutenção de aeronaves - Paulo Henrique Moraes, 42, Erick Martinho, 36, e Leandro Souza, 34 — seriam as únicas vítimas da queda.

A informação da quinta vítima, o filho do governador, foi preservada a pedido da família. A primeira-dama estava em Campos do Jordão e só foi comunicada da morte por volta das 22h pelo próprio governador que voltou de viagem ao interior do Estado.

Em nota oficial divulgada pelo governo de São Paulo por volta das 23h30 deste sábado (4), a família Alckmin agradeceu "as manifestações de pesar e carinho" e diz "buscar conforto na fé que sempre alimentou".

Filho deixa mensagem de apoio para Alckmin durante campanha: 

Queda de bico   

Morador do Condomínio Fazendinha — onde aconteceu o acidente — há 25 anos, o caseiro Ailton Cláudio do Carmo estava em casa e viu quando o helicóptero deu duas voltas antes de cair.

— Na segunda volta, o helicóptero passou próximo à torre da caixa d'água do condomínio. Ouvi um forte barulho nas hélices. Aí, ele rodopiou e caiu de bico.

Segundo o caseiro, a região é rota constante de helicópteros devido à proximidade com a empresa Helipark que ocupa uma área de 56 mil m² dedicada à manutenção e customização de aeronaves. Há dois anos, ainda segundo o morador, outro acidente com helicóptero aconteceu no condomínio.

Já o músico Wellinton Fernandes deu uma descrição diferente do acidente para a reportagem do R7. Ele diz não ter visto o helicóptero rodopiar.

— Ouvi um estrondo e vi parte da hélice se soltando. O helicóptero foi jogado para trás e caiu.

Vídeo de câmera de segurança mostra momento da queda: 

Assalto

Thomaz já sofreu pelo menos duas tentativas de assalto em São Paulo. Em fevereiro do ano passado, ele foi abordado por criminosos em frente ao Clube Paineiras, no Morumbi, quando estava em seu carro com a filha. O carro que seguia à frente deles fez uma manobra brusca e bloqueou a rua. Os bandidos desceram, mas os seguranças, que vinham logo atrás, reagiram e atiraram.

Em 2002, dois policiais militares que faziam a segurança de Thomaz foram baleados em frente ao prédio onde morava a namorada dele, na Vila Mariana, zona sul da cidade. Um dos policiais, Diógenes Barbosa Paiva, de 38 anos, não resistiu aos ferimentos e morreu.

Veja na íntegra a nota divulgada pelo governo de São Paulo:

"O Governo de São Paulo informa com imenso pesar que Thomaz Rodrigues Alckmin, o caçula dos três filhos do governador Geraldo Alckmin e de dona Lu Alckmin, é uma das cinco vítimas da queda do helicóptero EC-155 ocorrida na Grande São Paulo na tarde desta quinta-feira. Thomaz tinha 31 anos e era piloto profissional de aeronave. Ele deixa esposa, Tais, duas filhas, Isabela e Julia, e os irmãos Sophia e Geraldo Alckmin Neto.

Sob o impacto dessa tragédia, a família Alckmin, inconsolável, agradece as manifestações de pesar e carinho e busca conforto na fé que sempre a alimentou. Seus pensamentos e preces se estendem às famílias das outras vítimas. Informações sobre velório e enterro serão divulgadas oportunamente, tão logo estejam definidas."

Veja na íntegra a nota divulgada pela empresa proprietária do helicóptero:

"A Seripatri lamenta profundamente a morte dos quatro ocupantes do helicóptero de propriedade da empresa, em um trágico acidente na Grande São Paulo, na tarde desta quinta-feira (2/4). Ocupavam a aeronave o piloto da empresa, com mais de 30 anos de experiência, e o mecânico, também funcionário da Seripatri. Os outros dois ocupantes eram mecânicos da Helipark, empresa de manutenção. O acidente ocorreu durante voo de teste, após a aeronave passar por manutenção preventiva. O helicóptero, da marca Eurocopter, modelo EC 155, prefixo PPLLS, tinha cerca de quatro anos de uso, com aproximadamente 600 horas de voo e estava com sua documentação e manutenção rigorosamente em ordem. Neste momento de luto e enorme tristeza para todos, a Seripatri está prestando toda a assistência necessária aos familiares das vítimas, bem como já destacou profissionais para acompanhar junto às autoridades as investigações das causas do acidente".

Leia mais notícias de Brasil

    Access log