São Paulo Funcionários do Detran protestam pela 3ª vez contra demissões em SP

Funcionários do Detran protestam pela 3ª vez contra demissões em SP

Terceirizados do órgão alegam que contrato, com data inicial de encerramento para 2021, foi rescindido sem aviso prévio durante a pandemia

  • São Paulo | Letícia Assis, da Agência Record

Manifestantes durante a tarde desta segunda-feira (17)

Manifestantes durante a tarde desta segunda-feira (17)

RENATO S. CERQUEIRA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO - 17/08/2020

Funcionários terceirizados do Detran-SP realizaram nesta segunda-feira (17) uma nova manifestação contra as demissões durante a pandemia do novo coronavírus, em frente ao prédio da Defensoria Pública de São Paulo, na Sé, zona central da cidade. O mesmo protesto já aconteceu duas vezes na semana passada, na última terça-feira (11) e na manhã da quinta-feira (13), levando manifestantes para a frente do prédio, com cartazes e buzinas contra o Detran.

Leia mais: Autoescolas fecham pista da Ponte Estaiada em protesto contra Detran

Tiago Prado, que trabalha na empresa AT Santos Consultoria, relatou que o Detran  pediu o encerramento do contrato de imediato, sendo que o término do mesmo está previsto para 2021, e que o órgão não pretende arcar com os custos dos 340 colaboradores que serão demitidos.

De acordo com a Polícia Militar, as duas manifestações anteriores foram pacíficas. Em nota, o Detran-SP afirmou que está "atento à situação dos colaboradores e criou um grupo de estudos para avaliar a possibilidade de remanejamento dos prestadores de serviços das unidades Guarapiranga e Armênia".

Em relação ao posto Aricanduva, o departamento afirmou que não há possibilidade de renovação do contrato, e que a responsabilidade é das empresas terceirizadas para tomar as medidas cabíveis.

O Detran também defendeu que a incorporação de seus serviços pelo Poupatempo trará ampliação do atendimento, para cinco locais próximos a estações do Metrô e da CPTM.

Últimas