São Paulo Governo anuncia reforma de R$ 2,7 milhões na escola Raul Brasil

Governo anuncia reforma de R$ 2,7 milhões na escola Raul Brasil

Obras terão início em 28 de outubro, com previsão de término em março de 2020. Local foi palco de massacre e 10 pessoas morreram no dia 13 de março

  • São Paulo | Plinio Aguiar, do R7

Raul Brasil irá passar por reforma ao custo de R$ 2,7 milhões

Raul Brasil irá passar por reforma ao custo de R$ 2,7 milhões

Edu Garcia/R7

O Governo de São Paulo anunciou, nesta quarta-feira (23), a revitalização e reforma da Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano (Grande São Paulo), palco de massacre que vitimou nove pessoas há sete meses.

No dia 13 de março, Guilherme Taucci Monteiro e Luiz Henrique de Castro invadiram a escola e, durante o intervalo de aulas, executaram cinco estudantes e duas funcionárias. Ao final do massacre, que segue o estilo dos atentados frequentes nos equipamentos educacionais dos Estados Unidos, Monteiro matou seu parceiro ao perceber a chegada de policiais militares e, em seguida, cometeu suicídio. Antes da carnificina, haviam matado um tio de Monteiro.

Leia mais: ‘Mudança muito grande’, diz prefeito sobre reforma em escola de Suzano

Desde então, a vida da Raul Brasil e de seu entorno sofreu mudanças drásticas. Na tentativa de suavizar a tragédia, o governo propôs um plano de revitalização do espaço. O projeto inclui construção de novas áreas comuns, de estudo, de convivência e administrativas. As obras terão início em 28 de outubro, ao custo aproximado de R$ 2,7 milhões, levantado pela iniciativa privada, com previsão de término em março de 2020.

No prédio principal da escola, será criado o Espaço de Inovação, uma espécie de laboratório maker, equipado com 24 notebooks, smart TV e impressora 3D. A revitalização contempla a demolição e reconstrução de novas salas de aula, banheiro, cantinas, salas de leitura e informática, além do Centro de Ensino de Línguas. Será criada uma área de 1,5 mil m² para uso comum, com ambientes de estar e descanso, que contará com paisagismo, além de um espaço destinado à prática de esportes, aulas ao ar livre e bicicletário.

Veja também: Das feridas, união: alunos de Suzano se juntam para superar traumas

O acesso não se dará mais pela rua Otávio Miguel da Silva. Ainda para dar uma nova cara ao local, o muralista Eduardo Kobra irá fazer uma pintura em uma das paredes, além de uma curadoria aos alunos que também integrarem a ação.

O projeto será viabilizado a partir do apoio financeiro de um grupo de dez empresas que se uniram para possibilitar aos alunos uma nova relação com a escola. São elas: International Paper do Brasil, John Deere, Komatsum do Brasil, MRV Engenharia, Nadir Figueiredo, Paradise Golf Resort de Mogi, PCN Suzano, Qualical, Sanofi e Suzano S.A.. Os demais parceiros, neste caso para a conceituação dos espaços, são Athié Wohnrath, Roberto Piscala Paisagismo e Meg Valau Arquitetura.

Confira: 'Nasci 2 vezes no mesmo hospital', diz ferido no massacre em Suzano

As obras começam no próximo dia 27, com previsão de serem concluídas em março de 2020. Neste período, 2,3 mil alunos serão realocados na Faculdade Piaget, que fixa aproximadamente a um quilômetro da Raul Brasil. Dessa forma, os estudantes vão encerrar este ano letivo em dezembro e iniciar o próximo, em fevereiro, no prédio da faculdade. A rotina pedagógica da escola será mantida neste período. O governo diz que irá colocar, também, segurança na Piaget para zelar pelos alunos da Raul Brasil.

Últimas