São Paulo Greve dos aeronautas: Aeroporto de Congonhas foi o mais afetado em SP, com mais de 100 atrasos 

Greve dos aeronautas: Aeroporto de Congonhas foi o mais afetado em SP, com mais de 100 atrasos 

Na sexta-feira (23), o sindicato suspendeu a paralisação durante o fim de semana no Natal

  • São Paulo | Letícia Dauer do R7, com informações da Agência Record

Atrasos e cancelamentos provocaram aglomerações em aeroportos de São Paulo

Atrasos e cancelamentos provocaram aglomerações em aeroportos de São Paulo

Marco Ambrosio/Ato Press/Estadão Conteúdo - 21.12.2022

Pelo menos 133 voos sofreram atraso e 26 foram cancelados no estado de São Paulo no decorrer da greve dos aeronautas, que durou cinco dias. Os dados são do levantamento da Agência Record que reuniu informações dos aeroportos de Congonhas, de Viracopos e Internacional de Guarulhos. 

A paralisação dos pilotos e comissários começou na segunda-feira (19) e se estendeu até ontem, sexta-feira (23). Diariamente, os profissionais interromperam as atividades das 6h às 8h, provocando movimentação intensa e aglomerações no saguão dos aeroportos. 

De acordo com o levantamento, o Aeroporto de Congonhas, na capital paulista, foi o mais afetado, com 107 voos atrasados e 25 cancelados. Em contrapartida, o Aeroporto de Viracopos, em Campinas, no interior do estado, registou apenas dois atrasos durante os cinco dias de greve, segundo a assessoria de imprensa do local. 

O primeiro dia de paralisação foi o pior, com 82 atrasos e 19 cancelamentos somente em Congonhas. Enquanto no mesmo dia, em Guarulhos, na Grande São Paulo, 10 voos foram afetados e apresentaram demora.

Ao longo da semana, os números foram caindo até chegar na sexta-feira a apenas dois atrasos em Guarulhos e um em Campinas. Ontem, não foram registrados cancelamentos no estado de São Paulo. 

Reivindicações

O objetivo do grupo era a reivindicação de melhores condições de trabalho, além de aumento salarial, tendo em vista os altos preços das passagens aéreas. O Sindicato Nacional dos Aeronautas também pede a "definição dos horários de início de folgas e proibição de alterações nas mesmas".

Ontem, o sindicato anunciou a suspensão da greve durante o fim de semana de Natal. A interrupção, segundo a entidade, será para que a categoria vote de forma virtual a nova proposta apresentada pelas empresas até as 12h30 de domingo (25).

Últimas