São Paulo Grupo faz manifestação contra fechamento de sete creches em SP

Grupo faz manifestação contra fechamento de sete creches em SP

De acordo com Subprefeitura de Santana, manifestantes invadiram prédio da administração e houve confronto com guardas

  • São Paulo | Rodrigo Martinez, da Agência Record*

Ato ocorre na zona norte de SP

Ato ocorre na zona norte de SP

Reprodução

Um grupo, com cerca de 250 servidores municipais, sindicalistas e mães de alunos, faz uma manifestação contra o fechamento de sete creches municipais na Subprefeitura Santana/Tucuruvi, na avenida Tucuruvi, 808, na zona norte de São Paulo. O ato começou por volta das 10h30 desta segunda-feira (12).

De acordo com a Subprefeitura de Santana/Tucuruvi, os manifestantes invadiram o prédio da administração e houve confronto com guardas. Uma agente teria sido agredida, mas ainda não há detalhes do caso.

A Polícia Militar não possui acionamento para o endereço.

Segundo uma das mães envolvidas, a prefeitura, por meio de publicação no Diário Oficial do Município, decretou o fechamento de sete creches, sendo cinco na zona norte e duas na zona sul da capital. Ela disse que está sendo feita uma reunião com o subprefeito nesta manhã.

Os manifestantes disseram à Agência Record que não foram avisados previamente e que foram surpreendidos com a decisão da prefeitura na manhã da quarta-feira (7).

A categoria afirma que quase mais de 200 profissionais da educação foram demitidos e ficaram desamparados. Além disso, mais de mil alunos também serão prejudicados com o fechamento das unidades.

O outro lado

Em nota, a Secretaria Municipal de Educação informou que nenhuma criança ficará desassistida ou sem vaga, todas serão remanejadas para unidades no entorno garantindo a continuidade do atendimento.

A pasta lamentou que a Organização Social, descredenciada após denúncia e responsável pela administração das unidades, não tenha entregado as chaves para a nova entidade que vai assumir e disse que "não tem medido esforços para que a situação seja regularizada o quanto antes".

"As Diretorias Regionais de Educação seguem em constante diálogo com os familiares e está à disposição para quaisquer esclarecimentos", informou.

*Com supervisão de Isabelle Gandolphi, da Agência Record

Últimas