Grupo se passa por polícia, invade condomínio e faz reféns no Ipiranga

Cinco pessoas, entre elas uma mulher, chegaram ao local usando roupas e distintivos da Polícia Civil e apresentaram mandados de prisão

Grupo de cinco pessoas invade prédio, se passa por polícia e faz reféns no Ipiranga

Grupo de cinco pessoas invade prédio, se passa por polícia e faz reféns no Ipiranga

Reprodução Record TV

Um grupo invadiu um condomínio residencial, por volta das 6h deste sábado (21), na rua Cipriano Barata, 1.051, no Ipiranga, zona sul de São Paulo. Cinco funcionários foram feitos reféns.

Leia também: Homem abre fogo contra colegas em empresa na zona sul de SP

De acordo com a Polícia Militar, cinco pessoas, entre elas uma mulher, chegaram ao condomínio usando roupas e distintivos da Polícia Civil e apresentaram mandados de prisão aos funcionários da portaria, que liberaram a entrada da grupo.

Já dentro do condomínio, os suspeitos renderam os cinco funcionários, que foram trancados dentro de uma sala. A polícia foi acionada para atender a uma ocorrência de disparo de arma e, quando se aproximava do local, conseguiu deter a mulher e mais um homem, que tentaram fugir em um veículo Siena branco de placa adulterada.

A dupla foi localizada na rua Agostinho Gomes, a pouco mais de um quilômetro de distância do condomínio. Dentro do veículo, uma arma e materiais da polícia civil, como uniformes e distintivos, foram localizados.

Já dentro do condomínio, um terceiro suspeito foi detido. Um outro carro, usado pelo grupo e roubado em um outro crime foi apreendido dentro do prédio. Os cinco funcionários que foram feitos reféns foram libertados e não há relato de que eles tenham sido feridos. 

Os policiais continuam as buscas no local para localizar o restante do grupo, inclusive dentro do condomínio, pois há a suspeita de que dois assaltantes ainda estejam dentro de um dos prédios. O helicóptero Águia da Polícia Militar foi acionado e a rua, interditada.

As primeiras informações apontam que o grupo é de Cidade Tiradentes, na zona leste de São Paulo. O caso será registrado no 16º Distrito Policial, na Vila Clementino.