São Paulo Homem que incendiou carro da ex é preso com queimaduras, em SP

Homem que incendiou carro da ex é preso com queimaduras, em SP

Suspeito, de 22 anos, tinha ferimentos nas mãos e no rosto, sofridos após cometer atentado contra a ex-namorada, com quem tem um filho

  • São Paulo | Catarina Hong, da Record TV

Veículo de empresária ficou totalmente destruído

Veículo de empresária ficou totalmente destruído

Reprodução/Record TV

Um rapaz de 22 anos foi detido em flagrante após furtar e incendiar o carro da ex-namorada, crime praticado no último domingo (16), enquanto a jovem jantava em um restaurante de São Paulo. O suspeito, que sofreu queimaduras nas mãos e no rosto, foi autuado em crime previsto na Lei Maria da Penha.

Leia também: Adolescente é suspeita de matar companheiro a facadas em SP

A empresária Carolina Torresan Ida, de 21 anos, já havia registrado uma série de boletins de ocorrência contra o ex-companheiro e tinha obtido uma medida protetiva na justiça. Há seis meses, ela havia pedido a separação, após um relacionamento de cerca de dois anos. Ambos têm um filho juntos.

Carolina Ida, de 21 anos

Carolina Ida, de 21 anos

Reprodução/Record TV

"Ele falava que iria acabar com a minha vida. [Dizia] que expor a minha intimidade, iria me matar. Ele invadiu o meu condomínio, após a separação, eu já possuía medida protetiva, me arrastou pelos cabelos de dentro do apartamento com o nosso filho de um ano no colo", declarou a empresária. 

Medida protetiva

A promotora do Ministério Público de São Paulo Valeria Scarance ressalta que a medida protetiva é um instrumento importante para que as autoridades possam agir, mas é preciso haver provas. "O que pode ser considerado prova? Tudo. Whatsapp, mensagem ameaçadora. Não há outra alternativa, senão contar com o estado e acreditar na medida protetiva". 

Valeria Scarance enfatizou ainda que o envolvimento de testemunhas de casos de violência doméstica também é fundamental para a proteção da vítima. "Quando a sociedade fala, a mulher não morre. Também é obrigação de quem escuta acionar a polícia", complementou a promotora.

Crimes

O homem, que foi internado em um hospital da capital paulista para o tratamento dos ferimentos, irá responder a inquérito policial por furto, dano qualificado e pelo descumprimento da medida protetiva.

Últimas