São Paulo Jovem tetraplégica após acidente no mar lança campanha na web

Jovem tetraplégica após acidente no mar lança campanha na web

Karina Castellanos se recupera de fratura em vértebra C6, que a deixou sem os movimentos do pescoço para baixo. Família se mobiliza por recursos

Superação

Karina Castellanos, de 24 anos

Karina Castellanos, de 24 anos

Reprodução/Instagram @ajudekarinanc

A universitária Karina Neustadter Castellanos, de 24 anos, iniciou a recuperação após sofrer um acidente em uma praia de Ilhabela, no litoral norte de São Paulo, que a deixou tetraplégica. 

Karina, que passava férias com o namorado, estava no mar e tentou sair da água surfando, mas sem o uso de uma prancha, em uma prática conhecida popularmente como "jacaré" — ou surfe de peito.

Leia mais: Reconhecimento por foto e falta de perícia induzem falhas na Justiça

De acordo com o relato da jovem, uma onda a jogou para baixo e ela bateu a cabeça. Karina conta que sentiu um trauma forte no pescoço e "formigamento" no corpo. 

Socorrida, ela foi levada para o hospital de Ilhabela, onde os médicos constataram uma fratura na vértebra C6, que a deixou sem os movimentos do pescoço para baixo.

A história foi publicada nos perfis da estudante nas redes sociais. Na publicação, Karina trata a nova etapa que terá de enfrentar como um "renascimento". 

A universitária — cursa Administração em uma faculdade na zona sul de São Paulo — foi submetida a uma cirurgia para a fixação da coluna cervical e retirada de fragmentos de ossos que comprimiam a medula. Ela já recuperou alguns movimentos dos braços.

Agora, Karina está na casa da avó, em Santos, pois a família conseguiu atendimento no Hospital Lucy Montoro, especializado no tratamento de traumas. A jovem também obteve vaga na clínica de fisioterapia da Universidade Santa Cecília.

Leia mais: Pesquisa revela que 536 mulheres foram agredidas por hora em 2018

A mãe de Karina teve que deixar o emprego na capital paulista e se mudar para a Baixada Santista. Para auxiliar nos custos do tratamento, como remédios, equipamentos e materiais hospitalares, a família decidiu criar uma vaquinha na internet. A meta é arrecadar R$ 61.800. A campanha segue até o próximo dia 21 de abril.

Esperança

Karina já recuperou alguns movimentos dos braços

Karina já recuperou alguns movimentos dos braços

Karina Castellanos/Arquivo Pessoal

A fisioterapeuta Kátia Neustadter Monteiro, tia de Karina, revela que a universitária está otimista quanto às possibilidades de recuperar os movimentos do corpo.

"Ela vem reagindo muito bem, já teve muita tristeza por não entender o porquê disso tudo. De início, os médicos disseram que seria muito difícil voltar a andar. Mas, após a cirurgia como viram q não houve uma secção medular, mas sim uma compressão, eles passaram a falar que o prognóstico dela só dependeria dela mesmo e que em um ano ela poderia recuperar os movimentos através da reabilitação", revelou a tia.

"Karina vive uma nova vida. Foi um renascimento. Não dá para olharmos para aquilo que ela perdeu, mas sim ter esperanças em tudo o que ela pode ganhar. Ela recuperando a coordenação nas mãos ela pode voltar a estudar", complementou Kátia.

Você tem alguma denúncia? Envie um e-mail para denuncia@r7.com