São Paulo Justiça arquiva inquérito sobre delegado Da Cunha por peculato

Justiça arquiva inquérito sobre delegado Da Cunha por peculato

Investigação prossegue em relação aos delitos de abuso de autoridade e violação de sigilo funcional, informou o TJ-SP

  • São Paulo | Guilherme Alves e Mariana Rosetti, da Agência Record

MP entendeu que Da Cunha não se apropriou de bens públicos

MP entendeu que Da Cunha não se apropriou de bens públicos

Reprodução/Facebook

A Justiça de São Paulo arquivou, na última terça-feira (5), a pedido do Ministério Público, o inquérito que investigava possível crime de peculato cometido pelo delegado afastado Carlos Alberto da Cunha, que usava a estrutura da Polícia Civil para gravar vídeos para a internet.

O Ministério Público entendeu que, apesar de utilizar o aparato policial do Estado, Da Cunha não se apropriou de bens públicos.

Segundo o Tribunal de Justiça de São Paulo, a investigação sobre o delegado prossegue em relação aos delitos de abuso de autoridade e violação de sigilo funcional.

Na decisão, o juiz Fabio Pando de Matos determinou também a apuração de eventual prática de improbidade administrativa.

Em sua conta no Instagram, Da Cunha comentou a decisão. “Primeira batalha vencida, venceremos todas! A verdade prevalecerá”, escreveu.

Confira a nota do TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo):

Em relação ao peculato, houve arquivamento a pedido do Ministério Público. A investigação prossegue em relação aos delitos de abuso de autoridade e violação de sigilo funcional. Além disso, foi determinada a apuração de eventual prática de improbidade administrativa.

Últimas