Mãe de suspeito de matar Raíssa diz que menino não confessou o crime

Adolescente de 12 anos teria dito para familiares que viu a menina sendo morta, mas não foi ele quem cometeu o assassinato. Ele está apreendido

Menino foi flagrado por câmeras com Raíssa

Menino foi flagrado por câmeras com Raíssa

Reprodução

A mãe do menino de 12 anos, apreendido desde segunda-feira (30), sob suspeita de ter matado a menina Raíssa Eloá Caparelli Dadona, 9 anos, disse em entrevista à Record TV que ele não assumiu ter cometido o crime, mas apenas presenciado a criança ser morta.

A menina foi encontrada morta, presa pelo pescoço em uma árvore e com marcas de agressão no ombro. O crime aconteceu no parque nas proximidades do CEU (Centro Educacional Unificado) Anhanguera, na zolkjna norte de São Paulo, no último domingo (29), logo depois de uma festa no local.

Em entrevista coletiva na tarde da última terça-feira (1), o delegado do DHPP (Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa) responsável pelas investigações, Luiz Eduardo Marturano, disse que a última versão do menino, na madrugada de terça, foi confessando ter matado a menina.

Leia também: Prima de Raíssa relata que menino suspeito tentou feri-la com tesoura

De acordo com as informações da Polícia Civil, a última versão do garoto era contraditória à versão que havia dado horas antes para o delegado — a qual disse que quem matou Raíssa foi um homem apelidado como "Baianinho".

A versão na madrugada de terça-feira, no entanto, ainda segundo a polícia, era a mesma que a mãe disse que o garoto havia contado em casa. O menino teria falado para mãe, pouco depois do crime, que matou Raíssa — que morava na mesma rua que eles.

Mas na entrevista à Record TV, a mãe teria dito que o menino não confessou que matou a menina, mas sim que viu ela sendo morta.

O caso segue sendo investigado pelo DHPP. Durante a coletiva, Marturano disse que não descarta nenhuma possibilidade do crime nem participação de terceiros.