São Paulo "Mãe, ele vai matar eu", gritou criança boliviana antes do assassinato

"Mãe, ele vai matar eu", gritou criança boliviana antes do assassinato

Garoto estava no colo da mãe quando foi baleado na cabeça por um dos criminosos

"Mãe, ele vai matar eu", gritou criança boliviana antes do assassinato

Brayan Yanarico morreu após levar um tiro na cabeça durante um assalto

Brayan Yanarico morreu após levar um tiro na cabeça durante um assalto

Reprodução/Rede Record

Mais um crime chocou o País. Um menino boliviano de cinco anos levou um tiro na cabeça no colo da mãe após criminosos invadirem a casa da família e levarem todo o dinheiro.  O pedido de misericórdia foi a última frase dita por Brayan Yanarico Capcha. O menino gritou “mãe, ele vai matar eu”.

Depois o garoto ainda teria dito: “Não, não, não me mata!”.  A mãe do menino, Veronica Capcha, contou que o menino estava muito assustado.

— Meu filho dizia, não me solte, me disse, não quero morrer. A minha mãe não pode matar. Não vou gritar... Eu estava segurando meu filho e ele disparou. Depois saíram.

Antes de ser baleado na cabeça, o garoto deu moedas que tinha economizado para os assaltantes, segundo Patrícia Vega, advogada chamada pelo Consulado da Bolívia para assessorar a família do menino.

O crime aconteceu na madrugada de sexta-feira (28), quando a família boliviana chegou de carro. Seis criminosos invadiram a casa, as dez pessoas que moravam no local foram colocadas em um mesmo quarto.

Os ladrões pegaram R$ 4.000, mas exigiam mais. Irritados com a falta de mais dinheiro e impacientes com os gritos do garoto, eles tiveram uma reação inesperada e revoltante e deram um tiro na cabeça da criança.

Leia mais notícias de São Paulo

Os pais do garoto trocaram a terra natal pela esperança de trabalho e de uma vida melhor no Brasil, onde vivem legalmente há seis meses. O pai de Brayan, Edberto Yanarico, não quer mais viver no País e diz que está arrependido de ter mudado. Eles moravam e trabalhavam como costureiros no mesmo imóvel onde aconteceu o crime. 

Garoto boliviano de cinco anos morto por bandidos não gostava de viver no Brasil

O garoto faria seis anos no próximo sábado. O corpo do menino será levado nesta segunda-feira (1°) para a Bolívia, onde será sepultado. Brayan era filho único do casal.

Neste domingo (30), um menor de idade foi apreendido, suspeito de ter participado do latrocínio — roubo seguido de morte — que terminou com a morte do garoto boliviano Brayan Yanarico Capcha, de cinco anos. O menor foi apreendido em São Mateus, zona leste da capital paulista, mesma região da residência da família onde aconteceu o roubo. Mais dois outros jovens, um de 18 anos e outro de 19, estão detidos por participação no crime.

Veja a reportagem completa abaixo: