São Paulo Marcelo sofreu "mudança de comportamento", avalia presidente de Comissão de Segurança da OAB 

Marcelo sofreu "mudança de comportamento", avalia presidente de Comissão de Segurança da OAB 

Segundo ele, investigação leva a crer que menino seria autor das mortes

  • São Paulo | Ana Cláudia Barros, do R7

O presidente da Comissão de Segurança Pública da OAB-SP (Ordem dos Advogados do Brasil), Arles Gonçalves Júnior, que está acompanhando a investigação da chacina em São Paulo, na Vila Brasilândia, afirmou que tudo que foi colhido na investigação até o momento leva a crer que Marcelo Eduardo Bovo Pesseghini, 13 anos, foi o autor das mortes. De acordo com Golçalves Júnior, os depoimentos revelam que o menino teria sofrido "uma mudança de comportamento e ele ficou muito influenciado pelo jogo".

— O que me parece é que ele teve uma mudança de comportamento.Quem tem que analisar isso? Perícia, psiquiatra. A percepção que a gente tem é que houve uma mudança.

Ele reiterou que a polícia está agindo com lisura e que tem abordado todas as possibilidades para o crime.

— Tudo que foi colhido realmente indica que foi o menino. Não há a possibilidade, até o momento, de que seja uma terceira pessoa, de que o menino tenha sido induzido, a fazer qualquer coisa por terceira pessoa. O que nos parece, é que ele acabou, em função de jogar o vídeo game muito, ele acabou se influenciando pelo vídeo game.

Família de policiais militares é encontrada morta e filho é suspeito. Entenda o caso

Manifestantes não comparecem em protesto para defender Marcelo Pesseghini


Na avaliação dele, todos os depoimentos colhidos até agora “chamam a atenção” e funcionam como um “quebra-cabeça”.

— Várias peças que estão se encaixando. E no sentido do que está acontecendo, com a vinda dos laudos, com certeza, nos parece é que vai acabar chegando a conclusão do que a polícia vem dizendo desde o início.

Segundo o representante da OAB, a expectativa para a próxima semana é de que os laudos sejam concluídos. Além disso, são esperados novos depoimentos e, se necessário, alguma diligência.

 

Últimas