Médica picada por cobra no MT é diagnosticada com covid-19

Mulher foi picada no rosto e no braço depois que uma cobra venenosa de dois metros caiu em uma queda d' água enquanto ela tomava banho

A médica Dieynne Miranda Saugo, que foi picada duas vezes por uma cobra venenosa durante um banho de cachoeira em Nobres, no Mato Grosso, foi diagnosticada com covid-19, de acordo com informação divulgada pela irmã dela, Nathalia Saugo Paiva, nas redes sociais, na sexta-feira (4).

Veja também: 'Eu era saudável, mas complicações após covid-19 mudaram minha vida'

 Dieynne Miranda Saugo foi picada duas vezes por cobra venenosa

Dieynne Miranda Saugo foi picada duas vezes por cobra venenosa

Reprodução/Record TV

Segundo a irmã, Dieynne passou por uma a cirurgia no braço e seu quadro de saúde é estável. Nathalia disse que, de acordo com a equipe médica, o quadro de covid-19 não interferiu no procedimento. Ela contou também que o veneno não danificou nenhuma veia ou tecido do corpo de Dieynne, e que os cortes no braço devem ser fechados em cerca de dois dias.

Transferência

Transferida do Complexo Hospitalar de Cuiabá na noite de quinta-feira (3), Dieynne está internada no Hospital Albert Einstein, em São Paulo. A família decidiu pela transferência porque os leitos de Cuiabá com médicos especialistas estavam lotados. Ainda em Cuiabá, ele fez uma transfusão sanguínea e, nas redes sociais, a família dela pediu a doação urgente de sangue e agradeceu a todos que colaboraram.

Leia ainda: Prefeitura de SP faz pesquisa com alunos de 4 a 14 anos sobre covid-19

A família organizou uma vaquinha virtual e pede a doação de dinheiro para cobrir tanto os custos do táxi aéreo gerados pela transferência, como os gastos com a internação. A meta é conseguir R$ 300 mil na "vaquinha da DY". Segundo Nathalia Saugo, "de pouquinho em pouquinho, vamos conseguir pagar essa dívida".

O caso

Dieynne foi picada no rosto e no braço depois que a cobra venenosa caiu na queda d' água enquanto a vítima se banhava. O animal tinha cerca de dois metros de comprimento.

Veja mais: Campanha arrecada 14 toneladas de alimentos com dança de capitão

Amigos da médica filmaram o momento do ataque. Nas imagens, é possível ver quando ela começa a gritar. A pousada em que o grupo estava hospedado não tinha soro antiofídico.

A vítima foi encaminhada para um hospital em Cuiabá, onde passou por cirurgia e foi internada em estado grave na UTI.