Médica picada por cobra passará por tratamento para recuperar braço

Na última quarta-feira (9), Dieynne passou por uma cirurgia no local, para evitar a necrose da mão esquerda. Até o momento não há previsão de alta

Médica foi diagnosticada com covid-19 ao chegar em São Paulo

Médica foi diagnosticada com covid-19 ao chegar em São Paulo

Reprodução / Instagram

Dieynne Saugo, a médica picada por uma cobra durante um banho de cachoeira no Mato Grosso, vai precisar fazer terapia ocupacional para recuperar a mobilidade, sensibilidade e força do braço e da mão esquerda.

Segundo a irmã da médica, Sthefani Saugo, a vítima permanece internada em estado estável, neste domingo (13) e está realizando fisioterapia.

Na última quarta-feira (9), Dieynne passou por uma cirurgia no braço, para evitar a necrose do local, e aguarda a normalização dos exames e a redução do edema na glote. Até o momento não há previsão de alta.

A vítima foi transferida para o Hospital Albert Einstein, em São Paulo, depois do acidente e continua sob os cuidados da equipe médica do local. 

A irmã de Dieynne, Nathalia Saugo, fez uma vaquinha online para arrecadar verba para arcar com os custos da internação e os gastos com o translado da vítima. A meta da família é arrecadar R$ 300 mil. Até agora já foram doados mais de R$ 217 mil.

Segundo Nathalia, a internação de Dieynne no Hospital Albert Einstein vai ficar em torno de R$ 200 mil e o translado de Mato Grosso para São Paulo ficou em cerca de R$ 50 mil.

A irmã da médica relata que já foi questionada sobre a vaquinha e porque a irmã dela não usou o convênio médico e ela informou que um hospital como o Einstein não aceita o tipo de convênio que a irmã dela possui.

O caso

Dieynne foi picada duas vezes por uma cobra, no rosto e no braço, quando o animal caiu na água enquanto a vítima se banhava na queda d'água em Nobres, no Mato Grosso.

Amigos de Dieynne filmaram o momento do ataque. Nas imagens, é possivel ver quando a médica começa a gritar. A pousada em que o grupo estava hospedado não tinha soro antiofidico.

A vítima foi encaminhada para um hospital em Cuiabá, onde passou por cirurgia e ficou internada em estado grave na UTI (Unidade de Tratamento Intensivo). A cobra tinha cerca de dois metros de comprimento.

Na noite da quinta-feira (3) a médica foi transferida para o Hospital Albert Einstein em razão da piora no quadro clínico dela. Dois dias depois da transferência, Dieynne foi diagnostica com covid-19 de acordo com informação divulgada pela irmã dela, Nathalia Saugo Paiva, nas redes sociais.