São Paulo Morre juíza atingida por viga após caminhão bater em viaduto

Morre juíza atingida por viga após caminhão bater em viaduto

Adriana Nolasco da Silva, de 46 anos, teve fratura no crânio e não resistiu 

Juíza morre após parte de viaduto cair sobre seu carro

Carro em que estava a juíza Adriana: parte de viga de atingiu o veículo

Carro em que estava a juíza Adriana: parte de viga de atingiu o veículo

Nivaldo Lima/Futura Press/Futura Press/Estadão Conteúdo – 20.11.2017
A juíza Adriana Nolasco

A juíza Adriana Nolasco

Reprodução Facebook

A juíza Adriana Nolasco da Silva, de 46 anos, morreu na manhã desta segunda-feira (20). Ela estava internada desde a noite de domingo (19), quando parte de uma viga de um viaduto ter caído sobre o seu carro na avenida do Estado, região central de São Paulo.

Adriana sofreu uma fratura no crânio, foi levada ao Hospital das Clínicas em estado grave e não resistiu. 

O Tribunal de Justiça comunicará através do site, os detalhes do funeral da juíza.

De acordo com Corpo de Bombeiros, um caminhão colidiu contra a pilastra do viaduto da CPTM na avenida do Estado, às 23h do domingo.

Com a batida, pedaços de concreto caíram sobre o carro onde estava a magistrada. Ela seguia no banco de passageiro do veículo. O motorista do carro não se feriu.

O veículo e o caminhão pararam a cerca de 150 metros depois. O motorista do carro de Adriana afirmou à polícia que o motorista do caminhão teria tentado fugir.

Perícia

Peritos estiveram no local durante a madrugada e constataram que o baú do caminhão é 16 centímetros mais alto do que os 4,30 metros informados pela placa que antecede o viaduto.

O tacógrafo mostrou que a velocidade que caminhão estava na hora do acidente era de 62 km/h. O permitido na avenida do estado é 50 km/h.

O motorista do caminhão, Pedro Henrique Fernandes, de 42 anos, foi ouvido no 8º DP (Brás/Belém) e liberado. O inquérito será aberto no 12ºDP, área dos fatos, na terça-feira (21). Tanto o motorista quanto a empresa em que ele trabalha responderão pelo acidente.O R7 não teve acesso ao depoimento dele, nem localizou advogado do condutor.

Interdição

A CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) interditou a faixa da direita da avenida do Estado  na pista sentido Santana, na zona Norte. A interdição é próximo à rua Mauá e avenida Mercúrio, na região central da capital. As outras três faixas já foram liberadas.

Equipes da Defesa Civil, CET e Secretarias de Prefeituras Regionais e de Serviços e Obras estão no local para dar apoio às ações de limpeza e reparos. A Secretaria Municipal de Serviços e Obras e a Defesa Civil vistoriaram o viaduto e não foi constatado qualquer problema estrutural. O caminhão atingiu um pórtico por onde passa o sistema de sinalização da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos que nesse momento, realiza reparos no local.

Segundo a CET, o caminhão foi multado com base no artigo 230 do Código de Trânsito Brasileiro, que prevê multa de infração grave, e será apreendido após perícia feita pela polícia. Conforme a Companhia, o veículo também não portava uma Autorização Especial de Trânsito, documento obrigatório para carros que ultrapassam a altura limite de 4,40m, permitida para circular dentro da cidade. A emissão dessa autorização para veículos com excesso de dimensões é dada pelo órgão apenas após estabelecer uma rota especifica para tráfego.

Segundo a CPTM, a passagem de trem pela linha férrea está liberada.

Em nota, a Coca-Cola lamentou o acidente: "A FEMSA Brasil lamenta profundamente o acidente ocorrido na madrugada de hoje, (20), na Avenida dos Estados , SP, com o caminhão de transportadora terceira. Informa também que, juntamente com a transportadora, está averiguando o caso e contribuindo com as autoridades na investigação da causa."

    Access log