Morre juíza atingida por viga após caminhão bater em viaduto

Adriana Nolasco da Silva, de 46 anos, teve fratura no crânio e não resistiu 

Carro em que estava a juíza Adriana: parte de viga de atingiu o veículo
Carro em que estava a juíza Adriana: parte de viga de atingiu o veículo Nivaldo Lima/Futura Press/Futura Press/Estadão Conteúdo – 20.11.2017
A juíza Adriana Nolasco
A juíza Adriana Nolasco Reprodução Facebook

A juíza Adriana Nolasco da Silva, de 46 anos, morreu na manhã desta segunda-feira (20). Ela estava internada desde a noite de domingo (19), quando parte de uma viga de um viaduto ter caído sobre o seu carro na avenida do Estado, região central de São Paulo.

Adriana sofreu uma fratura no crânio, foi levada ao Hospital das Clínicas em estado grave e não resistiu. 

O Tribunal de Justiça comunicará através do site, os detalhes do funeral da juíza.

De acordo com Corpo de Bombeiros, um caminhão colidiu contra a pilastra do viaduto da CPTM na avenida do Estado, às 23h do domingo.

Com a batida, pedaços de concreto caíram sobre o carro onde estava a magistrada. Ela seguia no banco de passageiro do veículo. O motorista do carro não se feriu.

O veículo e o caminhão pararam a cerca de 150 metros depois. O motorista do carro de Adriana afirmou à polícia que o motorista do caminhão teria tentado fugir.

Perícia

Peritos estiveram no local durante a madrugada e constataram que o baú do caminhão é 16 centímetros mais alto do que os 4,30 metros informados pela placa que antecede o viaduto.

O tacógrafo mostrou que a velocidade que caminhão estava na hora do acidente era de 62 km/h. O permitido na avenida do estado é 50 km/h.

O motorista do caminhão, Pedro Henrique Fernandes, de 42 anos, foi ouvido no 8º DP (Brás/Belém) e liberado. O inquérito será aberto no 12ºDP, área dos fatos, na terça-feira (21). Tanto o motorista quanto a empresa em que ele trabalha responderão pelo acidente.O R7 não teve acesso ao depoimento dele, nem localizou advogado do condutor.

Interdição

A CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) interditou a faixa da direita da avenida do Estado  na pista sentido Santana, na zona Norte. A interdição é próximo à rua Mauá e avenida Mercúrio, na região central da capital. As outras três faixas já foram liberadas.

Equipes da Defesa Civil, CET e Secretarias de Prefeituras Regionais e de Serviços e Obras estão no local para dar apoio às ações de limpeza e reparos. A Secretaria Municipal de Serviços e Obras e a Defesa Civil vistoriaram o viaduto e não foi constatado qualquer problema estrutural. O caminhão atingiu um pórtico por onde passa o sistema de sinalização da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos que nesse momento, realiza reparos no local.

Segundo a CET, o caminhão foi multado com base no artigo 230 do Código de Trânsito Brasileiro, que prevê multa de infração grave, e será apreendido após perícia feita pela polícia. Conforme a Companhia, o veículo também não portava uma Autorização Especial de Trânsito, documento obrigatório para carros que ultrapassam a altura limite de 4,40m, permitida para circular dentro da cidade. A emissão dessa autorização para veículos com excesso de dimensões é dada pelo órgão apenas após estabelecer uma rota especifica para tráfego.

Segundo a CPTM, a passagem de trem pela linha férrea está liberada.

Em nota, a Coca-Cola lamentou o acidente: "A FEMSA Brasil lamenta profundamente o acidente ocorrido na madrugada de hoje, (20), na Avenida dos Estados , SP, com o caminhão de transportadora terceira. Informa também que, juntamente com a transportadora, está averiguando o caso e contribuindo com as autoridades na investigação da causa."