São Paulo 'Muita raiva em saber que tem gente assim', diz mãe de motoboy 

'Muita raiva em saber que tem gente assim', diz mãe de motoboy 

Filho de Maria Pires foi alvo de insultos racistas no dia 31 de julho, em Valinhos, no interior de SP, e vídeo ganhou repercussão nesta sexta-feira (7)

  • São Paulo | Do R7, com informações da Record TV

Entregador deve entrar com processo contra agressor

Entregador deve entrar com processo contra agressor

Reprodução

A mãe do entregador Matheus Pires Barbosa, de 19 anos, vítima de racismo por um homem branco no último dia 31 de julho, em Valinhos, no interior de São Paulo, fez um desabafo sobre o episódio nesta sexta-feira (7).

"Muita raiva em saber que tem gente assim", afirmou Maria Pires, em entrevista ao Jornal da Record.  

Em imagens divulgadas pelas redes sociais é possível ver o momento em que Mateus Couto, de 31 anos, ofende o entregador.

De acordo com a Record TV, A família da vítima disse que planeja entrar com um processo contra o agressor. O vídeo ganhou repercussão nas redes sociais nesta sexta.. A informação é da Record TV.

Nas imagens, o homem branco aparece humilhando o motoboy que está com uma bolsa de um aplicativo de entrega de alimentos. “Seu lixo. Isso aí mesmo, pode meter racista, que também estou em cima de você”, disse.

Leia também: IFood expulsa usuário racista que agrediu entregador no interior de SP

Os insultos continuam, e o homem branco diz que o motoboy "não tem nem onde morar", e diz que ele "tem inveja da gente aqui [indicando as casas do condomínio de luxo]. (...) Você tem inveja disso aqui também ó [apontando para o seu braço]".

O caso foi amplamente repudiado nas redes sociais e, no início da noite desta sexta-feira, o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), usou o Twitter para comentar o caso.

"Independentemente das circunstâncias que levaram ao ocorrido, atitudes como esta devem ser totalmente repudiadas", afirmou Bolsonaro. "A miscigenação é uma marca do Brasil. Ninguém é melhor do que ninguém por conta de sua cor, crença, classe social ou opção sexual", acrescentou.

O pai do agressor esteve na delegacia e disse que o filho faz um tratamento de saúde mental relacionado a esquizofrenia. O caso foi registrado como injúria racial na Delegacia de Valinhos.

Últimas