São Paulo Mulher achada morta é babá investigada por desaparecimento de menino em São Paulo

Mulher achada morta é babá investigada por desaparecimento de menino em São Paulo

Um dos corpos achados esquartejados na Zona Leste é de mulher que foi babá de Matheus Henrique, que desapareceu há dois anos. Polícia apura se mulher teria sido morta pelo tribunal do crime

  • São Paulo | Do R7, com informações do Cidade Alerta, da Record TV

Raquel e o menino Matheus Henrique, desaparecido em 2020

Raquel e o menino Matheus Henrique, desaparecido em 2020

Reprodução/Record TV

A mulher que trabalhava como babá do menino Matheus Henrique, desaparecido aos seis anos de idade em 2020 em São Paulo, e que foi investigada pelo caso, foi achada morta e esquartejada na Zona Leste de São Paulo na semana passada.

A polícia confirmou a identidade dos dois corpos achados nas proximidades do Parque do Carmo e investiga uma possível condenação pelo chamado "tribunal do crime" de uma facção criminosa. A polícia investiga se há conexão com o caso Matheus Henrique ou se a possível condenação pelo tribunal do crime diz respeito a uma outra criança, que teria sido agredida pela mulher.

Ambos os corpos estavam dentro de sacos pretos em um lugar onde tem coleta de lixo no bairro de Itaquera, na região leste de São Paulo. Juntamente com os restos mortais, foram encontrados pedaços de corda, indicando que as vítimas teriam sido amarradas antes de serem mortas.

Matheus Henrique sofria com maus-tratos em casa, de acordo com o relato de vizinhos de Mayara, mãe do menino. Uma vizinha afirmou ter visto Matheus Henrique com o rosto arranhado e a boca cortada, e a polícia encontrou manchas de sangue na casa. 

O menino sumiu enquanto brincava em uma praça na Rua dos Lírios, ao lado da Escola Municipal Parque das Flores, no Parque São Lucas, Zona Leste de São Paulo.

De acordo com Mayara, o pequeno Matheus Henrique estava na praça junto da babá, que cuidava dele há pelo menos dois anos. A mulher teve um momento de distração e a criança sumiu. Segundo moradores, a iluminação da praça é precária. Vizinhos relatam que a mulher seria companheira da mãe de Matheus. 

Ainda Matheus Henrique, ele foi diagnosticado com autismo: não interage, não se comunica e precisa de atenção integral. O caso ainda não teve um final conclusivo, após mais de dois anos.

Últimas