São Paulo Muro da raia olímpica da USP amanhece quebrado mais uma vez

Muro da raia olímpica da USP amanhece quebrado mais uma vez

Ocorrência ocorreu por volta das 4h30 desta madrugada. Perícia deve analisar se vidro quebrou sozinho ou se houve ato de vandalismo

Muro da USP amanhece quebrado

Muro da raia da USP amanhece quebrado novamente

Muro da raia da USP amanhece quebrado novamente

Reprodução Fala Brasil

Mais um vidro do muro da raia olímpica da Universidade de São Paulo (USP) amanheceu quebrado nesta quinta-feira (07), no Butantã, zona oeste da Capital. A informação foi confirmada pela Guarda Civil Metropolitana de São Paulo.

Até o momento, não há informações se o vidro quebrou sozinho, ou se foi alvo de algum ato de vandalismo.

De acordo com o 91º Distrito Policial, o ato teria ocorrido por volta das 4h30 dessa madrugada. 

A Secretaria das Prefeituras Regionais informou, por telefone, que a perícia irá ao local, na manhã desta quinta-feira (07), para fazer uma avaliação. De acordo com a pasta, só a perícia poderá informar se o vidro quebrou sozinho ou se teria sido um ato intencional.

Sequência de quebras

Em abril desse ano, uma série de ataques aos vidros da USP ocorreu de forma sequencial. Após a terceira placa de vidro ser quebrada no intervalo de uma semana, uma série de hipóteses começou a ser levantada.

Em abril, muro amanheceu quebrado três vezes em uma semana

Em abril, muro amanheceu quebrado três vezes em uma semana

Fabíola Perez / R7

Pássaros rasantes que ao voar colidem com o vidro, pedras que poderiam acertar o muro com a passagem de caminhões e a trepidação dos carros que estão a apenas seis metros de distância dos painéis. Até as capivaras que costumam ficar nos arredores da raia são suspeitas.

A primeira fase do projeto foi entregue pela Prefeitura de São Paulo no dia 4 de abril. Os painéis estão sendo instalados ao redor da raia olímpica da USP e substituirão um muro de concreto que já está sendo destruído. De acordo com a gestão Doria, o objetivo é revitalizar a região da Marginal Pinheiros e integrar a cidade universitária.

    Access log