Musa suspeita de matar sambista vai responder em liberdade

De acordo com a SSP, Aryani Menni se apresentou no 2º DP (Carapicuíba) na tarde desta terça-feira (4), foi ouvida e indiciada por homicídio

Musa suspeita de esfaquear sambista vai responder em liberdade

Musa suspeita de esfaquear sambista vai responder em liberdade

Reprodução/Facebook

Aryani Menni, suspeita de esfaquear o então companheiro Leandro Honnorato no sábado (1), vai responder pelo crime em liberdade. De acordo com a SSP, a passista se apresentou no 2º DP (Carapicuíba) nesta terça-feira (4), foi ouvida e indiciada por homicídio. 

Leia também: Sexto suspeito de matar família no ABC é procurado pela polícia

Menni alega ter esfaqueado Leandro em legítima defesa. A polícia aguarda o resultado da perícia para confirmar ou não a versão da mulher.

Leandro, de 35 anos, foi encontrado morto em sua casa na tarde do último sábado (1), na área rural de Carapicuíba, na Grande São Paulo. Na chegada dos policiais ao local, populares informaram que ouviram uma discussão entre o casal e a mulher fugiu. Quando entraram na casa, os agentes encontraram Leandro já morto. Segundo a mãe da vítima, o filho levou quatro facadas que causaram ferimentos graves. A faca usada no crime foi apreendida e periciada.

Relação conturbada

Aryani Menni era rainha de bateria de uma escola de samba, e Leandro Honorato da Silva era ritmista da escola e trabalhava como motorista. Os dois frequentavam ensaios juntos e faziam diversas declarações de amor um para o outro nas redes sociais.

Leia também: Criança morre após agressões na Grande SP e mãe é suspeita

Entretanto, familiares da vítima informaram que a relação do casal era agressiva. De acordo com uma prima de Leandro, eles se agrediam fisicamente, e a sogra de Aryani já havia aconselhado a nora a romper a relação, mas os dois não queriam terminar.

Segundo uma vizinha, Aryani havia comentado com ela, no mês passado, que rompeu o relacionamento com Leandro.

No boletim de ocorrência, foram registradas as palavras usadas pela suspeita ao descrever o acontecimento para a mãe da vítima, em ligação: "Eu briguei com o Leandro, matei ele. Entramos em briga corporal, ele me agrediu e eu peguei a faca."