São Paulo Padre suspeito de estuprar menino em shopping é preso no Guarujá

Padre suspeito de estuprar menino em shopping é preso no Guarujá

Religioso ofereceu comida em troca de favores sexuais, conduziu adolescente até o banheiro, onde o estuprou. Ele teve a prisão preventiva decretada

  • São Paulo | Do R7

Shopping onde menino de 14 anos foi estuprado por padre

Shopping onde menino de 14 anos foi estuprado por padre

Divulgação

Um padre suspeito de estuprar um jovem de 14 anos em um shopping na Praia das Pitangueiras, no Guarujá, no litoral de São Paulo, foi preso preventivamente após passar por audiência de custódia na terça-feira (10). 

Leia mais: Registro de estupros em SP segue em alta e bate recorde em setembro

Anderson de Moraes Domingues, de 43 anos, foi preso em flagrante na segunda-feira (9), por volta das 19h no estabelecimento comercial. De acordo com o delegado que registrou o caso, Caio de Azevedo Menezes, o padre abordou duas crianças, ofereceu comida, balas e milk shake em troca de favores sexuais.

Segundo uma das crianças presentes, que se tornou testemunha, o padre tocou o órgão genital do garoto. Nesse momento, outra criança avisou o segurança que o padre estava tentando aliciar o colega. Os seguranças do shopping avistaram ambos caminhando até o banheiro, se comunicaram por rádio e foram até o local.

Leia mais: Jovem de 19 anos é estuprada por motorista de aplicativo em SP 

O segurança entrou no banheiro e avistou duas pessoas na mesma cabine. "O padre estava com as calças arreadas encostando o órgão sexual nas nádegas do menino", disse o delegado. "O menino contou que o padre havia feito sexo oral nele anteriormente."

O advogado de defesa Gilmar José Mathias do Prado afirmou que fará o pedido de liberdade provisória nesta sexta-feira (13). "É uma situação delicada demais, um processo complexo por envolver duas crianças, mas devem ser ouvidas as duas versões", afirma. "Não se deve julgar de imediato quem está sendo acusado."

"Em caso negativo, vamos entrar com habeas corpus e aguardar uma posição do Tribunal de Justiça", diz o advogado. O caso corre em segredo de justiça por envolver crianças. Prado disse ainda que não poderia revelar a linha da defesa. O religioso está preso em São Vicente.

O delegado disse ainda que as crianças abordadas pelo padre costumavam vender balas no farol próximo ao shopping. As duas famílias compareceram à delegacia e, segundo Menezes, estavam revoltadas com o crime. O garoto foi levado para fazer exame. 

Últimas