São Paulo Pesando 2 mil toneladas, 'tatuzão' deve perfurar 12 metros de solo por dia para obra do Metrô de SP

Pesando 2 mil toneladas, 'tatuzão' deve perfurar 12 metros de solo por dia para obra do Metrô de SP

Equipamento precisou ficar parado por sete meses após parte da obra da Linha 6 desmoronar e abrir uma cratera na marginal Tietê

  • São Paulo | Do R7

Máquina tem 109 metros de extensão, com diâmetro de escavação de 10,6 metros

Máquina tem 109 metros de extensão, com diâmetro de escavação de 10,6 metros

Reprodução/Record TV - 31.08.2022

As operações da tuneladora, mais conhecida como "tatuzão", foram retomadas na manhã desta quarta-feira (31). De acordo com o Governo de São Paulo, o equipamento, que pesa 2.000 toneladas, deve perfurar 12 metros de solo por dia para a construção da Linha 6-Laranja do Metrô de São Paulo.

Agora, o tatuzão vai perfurar o túnel no sentido sul, em direção à estação Santa Marina. De acordo com o governador do estado, Rodrigo Garcia, esta é a maior obra da América Latina.

A máquina, que tem 109 metros de extensão, com diâmetro de escavação de 10,6 metros, possui também refeitório, cabine de enfermagem e esteira rolante para a retirada do material escavado, além de cabine de comando e equipamentos auxiliares.

De acordo com a concessionária Linha Uni, responsável pela operação da nova linha, entre os diferentes profissionais envolvidos na operação e logística da tuneladora, estão engenheiros, operadores, técnicos de manutenção mecânica e elétrica, agrimensores, colaboradores de maquinaria e responsáveis pela saúde e segurança.

A Linha 6-Laranja ligará as estações Brasilândia e São Joaquim, na região central, em um trajeto de 15 quilômetros, com 15 estações. O tempo de deslocamento entre os dois pontos da cidade, que atualmente é de 90 minutos de ônibus, será reduzido a apenas 23 minutos. A linha deverá transportar cerca de 633 mil passageiros por dia.

Ainda neste ano, outra tuneladora fará o sentido norte da linha, até a futura estação Brasilândia, com escavação de rochas.

Atraso na entrega da obra

No dia 1° de fevereiro deste ano, parte da obra desmoronou, abrindo uma cratera na marginal Tietê, e o trabalho com o equipamento, que já fazia a escavação das estações, precisou ser interrompido e ficou parado até a manhã de hoje.

Isso deve ocasionar demora na entrega do novo Metrô, segundo a CPTM (Companhia Paulista de Transportes Metropolitanos). Antes a inauguração da linha estava prevista para o fim de 2025, mas agora deve ser entregue em meados de 2026.

Últimas