São Paulo PM de SP terá câmera em uniformes para reduzir violência policial

PM de SP terá câmera em uniformes para reduzir violência policial

Chamadas de 'bodycams' equipamentos serão fixados à farda dos policiais. Imagens gravadas são armazenadas em nuvem e não podem ser apagadas

  • São Paulo | Do R7, com informações da Agência Brasil

Bodycams, pequenas câmeras de lapela, serão fixadas na farda policial

Bodycams, pequenas câmeras de lapela, serão fixadas na farda policial

Antonio Molina/ Fotoarena/ Estadão Conteúdo

Policiais militares do estado de São Paulo passarão a usar câmeras em seus uniformes para que suas ações nas ruas sejam monitoradas. A medida foi anunciada nesta segunda-feira (13) pelo governador Doria (PSDB), como tentativa de reduzir a violência policial.

Leia também: PMs que pisaram em mulher em SP responderão a inquérito criminal

Segundo o governador, as chamadas "bodycams", pequenas câmeras de lapela, serão fixadas na farda policial. As imagens produzidas serão gravadas em nuvem e não podem ser apagadas. A partir do dia 1º de agosto, 2 mil policiais militares utilizarão as câmeras no policiamento de rua no estado. Depois, disse o governador, serão adquiridos mais 3 mil desses equipamentos.

“São câmeras pequenas, fixadas na lapela do uniforme policial. Ele não pode retirá-la, ele não pode desligá-la. E ela transmite, ao vivo, todas as suas ações”, disse Doria. “Há dois benefícios nesta ação. Primeiro: vai reduzir o nível de violência. E ela serve também para apresentar fatos reais, cenas sem edição”.

Doria confirmou o afastamento dos policiais militares que pisaram e arrastaram uma mulher durante uma abordagem no bairro de Parelheiros, no extremo sul de São Paulo. Eles devem responder a inquérito criminal.

Imagens mostram que um deles pisou sobre o pescoço da mulher, enquanto ela estava deitada no chão. A cena é muito parecida à que ocorreu nos Estados Unidos e que levou à morte George Floyd, dando início a uma série de protestos no mundo todo.

“Quero deixar claro que o governo de São Paulo não tolera e não tolerará nenhum comportamento que seja de violência praticada pela Polícia Militar, Polícia Civil, Bombeiros ou qualquer outra polícia que esteja sob o comando do governo do estado de São Paulo. Ontem à noite assisti estupefato e fiquei impactado com a cena de agressão de uma mulher exibida ontem no Fantástico”, disse ele. Segundo Doria, os policiais envolvidos nessa ocorrência foram afastados das ruas e suas condutas estão sendo investigadas por um inquérito policial.

No dia 22 de junho, Doria havia determinado que todos os policiais do estado passassem por novo treinamento para evitar abordagens violentas. Isso ocorreu após imagens nas redes sociais terem mostrado uma abordagem policial violenta em Carapicuíba, região metropolitana do estado, no mês de junho. Na imagem, duas pessoas que estão em uma motocicleta são abordadas por policiais. Um policial militar aplica uma técnica de estrangulamento em uma das vítimas, que cai desacordada no chão.

Também no mês passado, ocorreram mais dois casos de violência policial. Em um deles, policiais militares estão sendo investigados por envolvimento na morte de um jovem negro de 15 anos . O jovem, identificado como Guilherme, desapareceu na noite de domingo, na Vila Clara, distrito de Jabaquara, na zona sul de São Paulo. Além desse caso, policiais militares de São Paulo foram flagrados, em imagens que circularam pelas redes sociais, agredindo pessoas rendidas no Jaçanã, na capital paulista, e em Barueri (SP).

Últimas