PM e MP deflagram operação contra jogos ilícitos em São Paulo

A apuração indicou que o grupo seria proprietário de dezenas de casas de jogos, que terão todos seus equipamentos e maquinário destruídos

Grupo estaria agindo com ajuda de agentes públicos

Grupo estaria agindo com ajuda de agentes públicos

Greg Montani/ Pixabay

O MP (Ministério Público) do Estado de São Paulo e a Polícia Militar deflagraram nesta terça-feira (22) a Operação Trevo da Sorte para investigar uma das maiores organizações criminosas que explora jogos ilícitos na capital paulista. A ação, que também apura a lavagem de milhões de reais, cumpre 14 mandados de prisão temporária contra integrantes do grupo.

Leia mais: Sete dias de liberdade: o que faz um preso em 'saidinha de feriado'

A operação também realiza 101 buscas em endereços das cidades de São Paulo, Santo André e Guarulhos. Dos mandados de busca e apreensão, 32 são cumpridos nas residências e escritórios de membros da quadrilha e 69 em casas de exploração de jogos.

A Justiça determinou a imediata destruição de todo o maquinário e equipamentos das casas de jogos, além da interdição dos imóveis usados pela organização criminosa.

A 'Trevo da Sorte' mobiliza 12 Promotores de Justiça, 33 servidores do Ministério Público de São Paulo, 807 policiais militares, 291 viaturas e sete cães do Canil da PM. Segundo o Ministério Público de São Paulo, a investigação teve início após a deflagração da Operação Jericó, em 2017, e da celebração de um acordo colaboração premiada.

A apuração indicou que o grupo seria proprietário de dezenas de casas de jogo, que, segundo a Promotoria, se sustentam "em razão da corrupção sistêmica de agentes públicos, entre servidores municipais e policiais".