São Paulo PM prende sete pessoas e agride mulheres em confusão generalizada

PM prende sete pessoas e agride mulheres em confusão generalizada

Caso aconteceu em Carapicuíba, na região metropolitana de São Paulo, em novembro deste ano, mas imagens vieram a público nesta terça-feira (22)

  • São Paulo | Vania Souza e Rodrigo Martinez, da Agência Record

PM revida agressão e bate em mulher

PM revida agressão e bate em mulher

Reprodução

Uma briga generalizada após um acidente de trânsito terminou com sete pessoas presas em Carapicuíba, Região Metropolitana de São Paulo, no dia 14 de novembro. No entando, somente nesta terça-feira (22) as imagens da confusão foram publicadas e mostram um policial militar batendo no rosto de mulheres em revide a agressões sofridas.

A reportagem teve acesso às imagens de câmeras de celular gravadas por moradores da rua do ocorrido que mostram o momento da confusão. Segundo a Polícia Militar, os agentes chegaram no local da ocorrência e encontraram dois homens brigando no chão, um agredindo o outro, após se envolverem em um acidente de trânsito. Outras pessoas participavam da confusão.

Leia também: PM de SP mata uma pessoa a cada 12 horas em supostas resistências

O agressor, identificado como Sidimar Oliveira Bezerra, disse aos policiais que o outro homem, David Nascimento Jacobina, bateu em seu carro e tentou fugir, e que por isso teria o alcançado e começado a briga.

Machucado e sangrando, David afirmou que foi perseguido, agredido e ameaçado por Sidinei, que se apresentou como "delegado de polícia", e seus familiares. A esposa de David, que está grávida, teria sido agredida pelo filho de Sidimar, que mora na mesma rua do ocorrido. Ele confirmou que arcaria com o prejuízo do acidente e que não havia necessidade da agressão.

David não estava habilitado e o veículo, um Escort, não estava com a documentação regularizada, além de ter sido danificado pela batida. O carro de Sidimar, um HB20, também foi avariado.

Na sequência, após se negar a apresentar a identificação, o filho de Sidimar ofendeu os policiais e começou uma briga generalizada. Outros familiares de Sidimar também se envolveram na confusão e afirmaram diversas vezes que acabariam com as carreiras dos policiais por conhecerem "pessoas influentes". A nora de Sidimar começou a agredir fisicamente os agentes, o que esquentou o clima da confusão.

A briga se estendeu até o momento em que as companheiras dos homens envolvidos na confusão e familiares, identificados como Mariane da Costa Leite, Izabella Zavan Bezerra, Maria Izabel Zavan, Jonathan Ramos dos Santos e David de Oliveira Ferrer Bezerra também se envolveram nas agressões aos policiais, que reagiram em determinado momento. Todos foram presos. 

Sidimar e Sidimar Jr. se recusaram o tempo todo a entrar na parte de trás da viatura, exigindo que fossem transportados no banco do meio.

David Nascimento Jacobina e sua família não agrediram os policiais e não foram presos, de acordo com a PM.

Foram registradas ocorrências de lesão corporal, embriaguez ao volante, desacato, resistência, ameaça, injúria, dano, dirigir sem CNH/PPD, fuga do local do acidente e abuso de autoridade no 01º DP de Carapicuíba, que não atendeu às nossas ligações.

Últimas