São Paulo Polícia investiga ex-PM e candidato a deputado federal que ameaçou agredir mulher grávida com chutes

Polícia investiga ex-PM e candidato a deputado federal que ameaçou agredir mulher grávida com chutes

Ex-capitão Silva Rosa afirmou em um podcast que para cobrar dívida de R$ 5 mil agrediria gestante. Fala viralizou nas redes sociais

  • São Paulo | Isabelle Amaral*, do R7

Capitão André Silva Rosa é pré-candidato a deputado federal por SP pelo partido Avante

Capitão André Silva Rosa é pré-candidato a deputado federal por SP pelo partido Avante

Reprodução/Redes sociais - 18.07.2022

A Polícia Militar investiga o ex-capitão da corporação e candidato a deputado federal pelo estado de São Paulo, pelo partido Avante por ameaçar uma mulher grávida, afirmando que a agrediria com chutes e pisaria na barriga da gestante. O vídeo com as falas do agente André Silva Rosa viralizou nas redes sociais.

A gravação do podcast Snider Cast, de Danilo Snider, ocorreu no dia 21 de junho, e o ex-capitão da PM André Silva Rosa disse ter usado da vantagem de ser policial para cobrar uma mulher que lhe devia cerca de R$ 5.000.

Após a repercussão negativa do áudio, o material foi retirado das mídias sociais. No entanto, a fala dele dizendo que chegou a forçar a entrada na casa da mulher, que daria chutes na barriga e pisaria na gestante gerou grande repercussão entre os internatutas.

Nesta semana, o soldado Zacharias, também da PM, registrou uma denúncia na Corregedoria da PM e aguarda a formalização.

O capitão André pediu afastamento das atividades como policial, enquanto concorre ao cargo de deputado federal por São Paulo nas próximas eleições.

A PM afirmou que ele é alvo de apuração na instituição, "sendo passível de punição". Além disso, esclareceu que o capitão Silva Rosa "está desincompatibilizado para concorrer às eleições deste ano".

A reportagem entrou em contato com o  Avante, partido do ex-PM, mas, até o momento, não obteve retorno.

Veja na íntegra a nota da Polícia Militar

A Polícia Militar esclarece que o vídeo que circula nas redes sociais é alvo de apuração na instituição, sendo passível de punição. Esclarece ainda que o policial militar está desincompatibilizado para concorrer às eleições deste ano.

Por fim, a Policia Militar não compactua com quaisquer desvios dos seus agentes, e todas as irregularidades são averiguadas e punidas rigorosamente.

*Estagiária sob supervisão de Fabíola Perez

Últimas