São Paulo Polícia prende suspeito de matar menina de 6 anos asfixiada em SP

Polícia prende suspeito de matar menina de 6 anos asfixiada em SP

Criança estava em companhia da madrasta, que também foi alvo do criminoso. Ambas foram intoxicadas com um solvente em São Caetano do Sul

são caetano do sul

Suspeito do crime está preso em São Caetano do Sul

Suspeito do crime está preso em São Caetano do Sul

Reprodução/Google Street View

A Polícia Civil de São Paulo prendeu um homem suspeito de matar uma menina de 6 anos de idade, dentro da casa dela, na madrugada deste domingo (27) em São Caetano do Sul (SP).

A madrasta da menina, que estava na residência no momento do crime, também foi alvo do bandido, mas resistiu e passa bem.

A criança foi assassinada, por asfixia, com um pano contendo thinner, um poderoso solvente, por volta das 4h, no bairro Nova Gerti, na cidade da Grande São Paulo.

Na madrugada, vizinhos começaram a sentir um forte cheiro do solvente e acionaram o Corpo de Bombeiros. Quando as equipes chegaram ao local, encontraram a criança já sem vida e a madrasta passando mal.

A mulher foi levada à UPA de São Caetano do Sul e continua em observação no hospital. Não há mais detalhes sobre o estado de saúde dela.

De acordo com a PM de São Caetano, o pai da criança trabalhava como Uber e, quando chegou em casa, viu a mulher e a filha caídas. Ele chegou antes dos bombeiros, acionados pelos vizinhos. Segundo o que o pai relatou para polícia, ele ainda tentou fazer massagem cardíaca na criança, mas não obteve sucesso.

A PM encontrou no local um pano contendo o solvente, altamente tóxico, que teria sido usado para asfixiar a menina.

Tanto a madrasta, que recebeu alta do hospital, e o pai da menina estão na Delegacia Sede de São Caetano do Sul prestando esclarecimentos. Segundo informações da delegacia, o suspeito do crime também está no DP. A Policia Civil não passou mais detalhes. 

A reportagem da Record TV/R7 pediu um posicionamento à SSP (Secretaria de Segurança Pública), que ainda não se manifestou sobre o caso.