Procurador que esfaqueou juíza em São Paulo é achado morto

Matheus Assunção foi internado em uma clínica após tentar matar a juíza Louise Filgueiras no TRF-3, na Av. Paulista. Polícia investiga se ele se suicidou

O procurador Matheus Carneiro Assunção

O procurador Matheus Carneiro Assunção

Reprodução/Facebook

O procurador da fazenda Matheus Carneiro Assunção, que esfaqueou a juíza Louise Filgueiras em outubro dentro do prédio do Tribunal Regional Federal da 3ª Região, em São Paulo, foi encontrado morto na manhã desta segunda-feira (3). A principal hipótese é que ele tenha cometido suicídio.

A morte do procurador foi revelada pelo site Conjur.

Matheus estava internado em uma clínica na Zona Sul de São Paulo. Ele foi encontrado aproximadamente às 8h, quando uma funcionária da clínica chamou o procurador por várias vezes, sem resposta. Após conseguir abrir a porta, a equipe da casa encontrou o corpo do procurador.

A Justiça já havia aceitado a denúncia do Ministério Público Federal, transformando Assunção em réu por tentativa de assassinato. Ele chegou a ferir Louise Filgueiras no pescoço.

Com a prisão preventiva decretada, ele foi enviado para a Penitenciária de Tremembé, no interior de São Paulo. Depois, porém, obteve autorização para ser transferido para uma clínica particular em São Paulo, com base em laudos médicos que mostraram que o procurador apresentou "surto psicótico".

A Polícia Civil informa que o caso foi registrado como morte suspeita pelo 11º DP e apura as circustâncias da morte. "A polícia aguarda o resultado dos laudos, que estão em execução, para esclarecer os fatos", informou em nota a Secretaria da Segurança Pública.

Leia mais: TRF-3 decreta prisão preventiva de procurador que esfaqueou juíza