São Paulo Quase 5 mil crianças foram vítimas de assassinato em 2019, diz estudo

Quase 5 mil crianças foram vítimas de assassinato em 2019, diz estudo

Segundo Anuário, crianças e adolescentes representam 10,3% das vítimas; 91% das vítimas são do sexo masculino e 75% são negras

  • São Paulo | Fabíola Perez, do R7

Quase 5 mil crianças e adolescentes foram assassinadas em 2019

Quase 5 mil crianças e adolescentes foram assassinadas em 2019

Freepics - 18.05.2020

Crianças e adolescentes representam 10,3% das vítimas de assassinato no país em 2019. Isso significa dizer que 4.920 morreram no ano passado em decorrência da violência intencional em todo o território nacional.  O Anuário de Segurança Pública, divulgado nesta segunda-feira (19), mostrou que 91% das vítimas são do sexo masculino e 75% são negras.

Leia mais: Feminicídios crescem e registros de violência doméstica caem em 2020

O estudo registrou um total de 47.773 mortes violentas intencionais no ano passado, o que representou uma redução de 17,7% em relação ao ano anterior. Isso significa uma taxa de 22,7 por 100 mil habitantes. Foram 39.561 homicídios, 1.577 latrocínios e 172 assassinatos de policiais. Em 2019, foram registradas 6.357 mortes por intervenções policiais, sendo 13,3% das mortes violentas provocadas pelas polícias.

Violência sexual

A cada oito minutos, uma pessoa é estuprada no Brasil. O dado foi divulgado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública nesta segunda-feira (19). Em 2019, foram registradas 66.123 vítimas de estrupro e estupro de vulnerável em todo o país.

De acordo com a pesquisadora Isabela Sobra, a diferença entre estupro e estupro de vulnerável é que o segundo grupo é formado por menores de 14 anos ou pessoas que não podem consentir o ato. "Os estupros de vulneráveis ocorrem durante a semana no período da manhã e da tarde, enquanto os estupros ocorrem aos fins de semana e de madrugada", afirma.

Leia mais: Uma pessoa é assassinada a cada 10 minutos no país, diz Anuário

De acordo com a pesquisadora Samira Bueno, sete em cada 10 vítimas de estupro eram incapazes de consentir o ato porque eram crianças, tinham algum tipo de deficiência cognitiva ou estavam alcoolizadas.

O Anúario de Segurança Pública mostrou ainda que 57,9% das vítimas tinham no máximo 13 anos e 85% das vítimas são do sexo feminino. O estudo também informou que 92,5% dos estupros registrados em 2019 tinham um único autor e 7,5% tiveram múltiplos autores.

Últimas