São Paulo Sob comoção, menino Gael é enterrado na cidade natal do pai

Sob comoção, menino Gael é enterrado na cidade natal do pai

Corpo da criança de 3 anos, encontrada morta em apartamento de São Paulo, foi levado para Prata, no interior da Paraíba 

  • São Paulo | Do R7*

Cortejo até o cemitério Jardim Saudade foi acompanhado por moradores de Prata, na Paraíba

Cortejo até o cemitério Jardim Saudade foi acompanhado por moradores de Prata, na Paraíba

Reprodução Record TV

Sob comoção, o corpo de Gael de Freitas Nunes, de apenas 3 anos, foi enterrado no cemitério Jardim Saudade, em Prata, no interior da Paraíba, cidade natal do pai da criança, onde vive a família paterna. O menino foi encontrado morto no apartamento onde morava na Bela Vista, área nobre de São Paulo.

Gael foi velado na casa da avó. Para evitar aglomeração, agentes da Vigilância Sanitária ajudaram a organizar os moradores, com controle de acesso, para ver de perto Gael. Após orações, o caixão foi colocado em uma tenda, na rua, para que outras pessoas pudessem se despedir da criança. 

Depois o caixão foi levado em cortejo até o cemitério. A despedida foi acompanhada por dezenas de moradores.

O pai da criança acompanhou a chegada da aeronave com o corpo em João Pessoa. Ele pegou um voo de São Paulo até o Recife e seguiu de carro até a Paraíba. Ele preferiu não falar com a imprensa, por não ter condições emocionais.

O caso

Gael foi encontrado praticamente sem vida no chão da cozinha do apartamento onde morava com a mãe, a irmã de 13 anos e a tia-avó na Bela Vista. Ele estava coberto com a toalha de mesa, em meio ao vômito. Ao lado estava a mãe, que está presa preventivamente suspeita pelo crime.

Ela alega não lembrar do que aconteceu e a defesa pretende entregar laudos que atestam que a mãe teve um surto psicótico. Ela já foi internada quatro vezes. Ao ser localizada, não tinha qualquer reação, parecia catatônica, segundo o relato de um enfermeiro à Record TV.

A tia-avó escutou barulhos fortes de batidas na parede e estilhaços, mas achou que o som era de outro apartamento. A idosa disse que logo depois o menino parou de chorar. Marcas do anel usado pela mãe estavam na criança.

Os pais do menino estão separados e ele disse não ter notado qualquer comportamento estranho da ex-mulher. Já a mãe da criança está na Penitenciária 1 de Tremembé, no interior de São Paulo.

*Com colaboração de Amanda Ribeiro, da Record TV

Últimas