São Paulo SP: governo anuncia bolsa para 300 mil alunos em situação de pobreza

SP: governo anuncia bolsa para 300 mil alunos em situação de pobreza

Objetivo do programa é evitar a evasão escolar, auxiliando financeiramente famílias em situação de vulnerabilidade

  • São Paulo | Do R7

Programa auxiliará 300 mil famílias

Programa auxiliará 300 mil famílias

Divulgação/Governo do Estado de São Paulo - 19.08.2021

O governo de São Paulo anunciou na manhã desta quinta-feira (19) o oferecimento da Bolsa do Povo Educação para as famílias de 300 mil alunos do ensino médio em situação de pobreza ou extrema pobreza no estado.

O objetivo do programa, como ressaltou o governador João Doria (PSDB) durante coletiva de imprensa, será permitir que “as famílias em vulnerabilidade possam ter seus filhos estudando e, se possível, nas escolas de tempo integral, e, com isso, reduzir a evasão escolar”.

Segundo o secretário da Educação, Rossieli Soares, os responsáveis pelos estudantes receberão, bimestralmente, R$ 1.000 por ano letivo.

Ao todo, para o programa, serão investidos R$ 400 milhões, com R$ 100 milhões em 2021 e R$ 300 milhões para 2022.

Rossieli ainda pontuou que, atualmente, 26% dos alunos do ensino médio abandonam seus estudos. Os motivos apontados são o desinteresse, o trabalho, a procura por trabalho ou gravidez.

Questionado acerca de como fazer para suprir o problema do desinteresse, uma vez que as bolsas atingiriam prioritariamente a questão financeira, o secretário afirmou que o programa atende às duas demandas.

De acordo com a pasta da Educação, 3,5 milhões de estudantes estão matriculados na rede estadual de ensino; 770 mil estão em situação de pobreza ou extrema pobreza. Entre eles, há 267 mil estudantes do ensino médio em vulnerabilidade.

“Quando se estabelece bolsas, isso serve para os que mais precisam permanecerem na escola mas também aumenta o interesse, tanto que haverá atividades específicas para isso. Além disso, o outro lado é um conjunto de ações que temos feito desde antes da pandemia, como a reforma do ensino médio. Não adianta achar que um menino do ensino médio vai se interessar por um modelo que ele está abandonando; eram 26% dos alunos abandonando o ensino médio”, disse Rossieli, que também destacou os projetos Inova e o Novotec.

As inscrições podem ser feitas entre 30 de agosto e 10 de setembro, a partir deste link

Para participar é necessário:

• Ser responsável legal por aluno da rede estadual (um responsável por família);
• Estar desempregado há pelo menos três meses;
• Ter entre 18 e 59 anos;
• Morar próximo à unidade escolar (raio de dois quilômetros).

São critérios preferenciais:

• Estar cadastrado no CadÚnico;
• Ser mãe de aluno da rede estadual;
• Ter filho estudando na escola de interesse;
• Proximidade entre endereço residencial e escola;
• Maior idade.

Últimas