São Paulo Suspeito de pedofilia é levado para "sala de tortura" do Metrô de SP

Suspeito de pedofilia é levado para "sala de tortura" do Metrô de SP

Após ter sido acusado de pedofilia, homem foi agredido com tapas e socos por uma das seguranças do local em uma suposta sala de atendimento

Homem foi acusado de ser pedófilo e agredido no metrô em São Paulo

Reprodução/Record TV

Um homem foi acusado de ser pedófilo e, na sequência, agredido em uma "sala da tortura" no metrô. O fato ocorreu no sábado (7) na estação da Luz, em São Paulo. O motorista voltava para casa depois de visitar uma amiga no hospital.

Leia também: Metrô afasta seguranças que agrediram moradores de rua na Sé

O suposto pedófilo alegou que andava pelo metrô quando uma menina de 13 anos começou a encará-lo e ele respondeu questionando se a garota queria tirar uma foto dele. 

Ao não concordar com a atitude do homem, a mãe da menina resolveu buscar ajuda dos seguranças. Os profissionais abordaram o motorista perto de uma das plataformas e o levaram até uma sala para atendimentos de primeiros socorros. 

Leia também: Após prisão, civis e GCMs entram em confronto na Cracolândia (SP)

Depois de dar sua versão dos fatos e entregar seus documentos pessoais, o homem foi agredido com tapas e socos por uma das seguranças. Mãe e filha haviam ido embora sem registrar ocorrência antes que o homem fosse levado. 

Depois de sair da estação, o motorista, que não tem passagem pela polícia, procurou uma delegacia na região central de São Paulo para registrar um boletim de ocorrência. A polícia e o Metrô já estão investigando o caso. 

A atuação dos agentes de seguranças dos metrôs de São Paulo é uma reclamação recorrente. Em nota, o Metrô São Paulo diz que repudia a atitude dos seguranças, mas também não tolera assédios contra mulheres e adolescentes. Os seguranças envolvidos na agressão já estão afastados e a companhia afirmou que manterá o afastamento durante toda a apuração.

Você tem alguma denúncia? Envie um e-mail para denuncia@r7.com