São Paulo Tiktokers que fingiram ser policiais em blitz vão responder por usurpação de função; veja vídeo

Tiktokers que fingiram ser policiais em blitz vão responder por usurpação de função; veja vídeo

Lucas e Kevin tinham o objetivo de gravar a ação e viralizar na internet; eles se fardaram e usaram documentos falsos

  • São Paulo | Isabelle Gandolphi, da Agência Record

Dois jovens que se passaram por policiais em uma falsa blitz na rua Três Andradas, no Jardim Piratininga, zona norte de Osasco, na Grande São Paulo, no dia 27 de fevereiro, vão responder pelo crime de usurpação de função pública. O objetivo da dupla era postar o vídeo da ação nas redes sociais e viralizar na internet.

Lucas Renan Nunes Santos e Kevin de Almeida usaram vestimentas alusivas ao fardamento policial e distintivos falsos e posicionaram cones na rua para que os veículos parassem. Uma câmera escondida na janela da casa de Lucas gravou a falsa blitz.

Falsa blitz feita por tiktokers

Falsa blitz feita por tiktokers

Reprodução

As imagens mostram os meninos parando os veículos e perguntando se os documentos estão em dia. Aos motociclistas, os falsos agentes pediam que levantassem a viseira.

Após as imagens viralizarem na internet, a Polícia Civil da cidade iniciou uma investigação até que conseguiu identificar o imóvel usado para realizar o registro. Quando os agentes chegaram à casa, os jovens acabaram conduzidos à delegacia.

A dupla conversou com a equipe da Record TV e disse que a intenção ao fazer o vídeo era crescer na internet. Os dois contaram que usaram roupas que já possuíam e cones que meninos do bairro utilizavam para jogar bola. Os rapazes afirmaram que não tinham intenção de desrespeitar ou prejudicar a polícia e pediram desculpas aos agentes de segurança pública.

Os meninos tiveram a ideia do vídeo para viralizar na internet

Os meninos tiveram a ideia do vídeo para viralizar na internet

Reprodução

Gonzales, delegado responsável pelo caso, disse que, apesar de os meninos serem trabalhadores, eles se vislumbraram com essa questão de internet e acabaram se envolvendo em uma ação que poderia ter acabado de uma forma muito ruim para eles.

O  delegado afirmou ainda que eles poderiam ter sido feridos por algum criminoso que estivesse com algum material ilícito e tentasse fugir atirando neles ou atropelando-os. Ainda de acordo com Gonzales, eles vão responder pelo crime de usurpação de função pública.

O caso foi registrado no 4° Distrito Policial de Osasco.

Últimas