São Paulo Tiro que matou sushiman atingiu o centro das costas, aponta laudo

Tiro que matou sushiman atingiu o centro das costas, aponta laudo

Leandro Santana dos Santos, de 26 anos, morreu na última quarta-feira (21) depois de atacar clientes. Imagens internas do restaurante mostram surto

  • São Paulo | Fabíola Perez, do R7

Caso ocorreu na última quarta-feira (21) no restaurante Jam, na zona oeste

Caso ocorreu na última quarta-feira (21) no restaurante Jam, na zona oeste

Reprodução Facebook

Um dos tiros que matou o sushiman Leandro Santana dos Santos, na quarta-feira (21), em um restaurante japonês localizado no bairro do Itaim Bibi, na zona oeste de São Paulo, atingiu o centro das costas do funcionário. Segundo testemunhas, o sushiman de 26 anos, teve um surto e atacou com duas facas colegas de trabalho e clientes do restaurante. Ele foi morto por policiais militares que atenderam a ocorrência.

De acordo com o delegado titular do 15º DP (Itaim Bibi), Fábio Pinheiro Lopes, o laudo feito pelo IML (Instituto Médico Legal) mostra que os disparos também atingiram o braço esquerdo, a perna direita e a lateral das nádegas de Leandro. 

Um inquérito policial foi instaurado. A Polícia Civil que, até o início da tarde desta terça-feira (27), ouviu apenas um colega de trabalho que o sushiman teria rendido quando teve o suposto surto. Ainda serão ouvidos, a partir das 15h, a mãe, um tio e a esposa do profissional. "Outros colegas de trabalho também serão ouvidos e, por último, os policiais militares envolvidos na ação", afirmou o delegado.

Agora a polícia quer colher depoimentos dos familiares para saber o que teria levado o sushiman a ter mudanças de temperamento. Segundo o delegado, ele trabalhava havia seis anos no restaurante. Lopes afirma que ouviu a vítima rendida por Leandro e, de acordo com ele, o funcionário não sabe dizer o que se passou com o colega. "Ele só gritava: ninguém se aproxima", diz. "Quando os outros funcionários conseguiram detê-lo ele soltou a vítima e correu para o sushibar."

O inquérito instaurado deverá apurar as causas e eventuais responsabilidades pela morte do sushiman, se houve excessos por parte da Polícia Militar ou se foi uma intervenção em legítima defesa.

Imagens das câmeras de segurança

O R7 teve acesso às câmeras de segurança do local. Nas gravações, é possível ver que, por volta das 23 horas, os policiais militares chegam ao restaurante japonês onde Leandro trabalhava. Em um salão grande, repleto de mesas, o sushiman começa a correr com uma faca na mão.

Na sequência, em um canto do andar de cima do restaurante, o sushiman vira de frente para os policiais e lança a faca em direção aos agentes. Pelo menos doze policiais militares se aproximam de Leandro após ele ter lançado a faca. O segundo PM a se aproximar possui uma pistola de choque e o quarto caminha em direção a Leandro com um escudo balístico. No entanto, segundo o delegado, somente dois policiais teriam atirado com balas verdadeiras e apresentado as armas.

Segundo o delegado, serão pedidos um laudo pericial, outro para mostrar a dinâmica do local e uma descrição das imagens para analisar o passo a passo das ações. O prazo para a conclusão do inquérito é de um mês. As cópias dos laudos e das imagens serão encaminhadas à Ouvidoria da Polícia. Leandro era casado e deixou uma filha de seis meses.

Últimas