São Paulo Ventania no litoral paulista havia sido prevista por meteorologistas

Ventania no litoral paulista havia sido prevista por meteorologistas

Técnicos esperavam a mudança no clima, registrada no último fim de semana, que resultou na morte de Caroline Bittencourt e mais duas pessoas

Tempestades

Fortes ventos viraram barcos na região de Ilhabela, no litoral norte paulista

Fortes ventos viraram barcos na região de Ilhabela, no litoral norte paulista

Reprodução/Record TV

A tempestade de vento que provocou três mortes e muitos estragos em cidades da Baixada Santista e do litoral norte do Estado de São Paulo havia sido prevista pelos meteorologistas com pelo menos três dias de antecedência. No entanto, a expectativa era que a velocidade dos ventos atingisse cerca de 80 km/h, mas o que se viu foram vendavais de até 150 km/h.

Leia mais: Corpo de Caroline Bittencourt é velado hoje em Embu das Artes

Em São Vicente, duas pessoas morreram. Já em Ilhabela, a modelo Caroline Bittencourt e o marido Jorge Sestini, que faziam um passeio de lancha, foram surpreendidos e caíram no mar revolto. A modelo, de 37 anos, não sobreviveu.

"Fizemos um alerta de mudança de tempo com mais ventos do que chuva na quinta-feira [25]. E a maior parte dos estragos foi causada pelos ventos, não pela chuva. Não houve alagamentos", frisou Fábio Luengo, meteorologista do Tempo Agora, reforçando as análises feitas pelos técnicos na semana passada.

Causas do vendaval

De acordo com o meteorologista Fábio Luengo, o fenômeno foi causado pela chegada de uma frente fria com área de instabilidade a 5 mil metros de altitude, além do surgimento de um "cavado", área de baixa pressão que aumenta a instabilidade.

Leia mais: Amiga falou com Carol Bittencourt no domingo, pela última vez

"Uma frente fria sempre traz consigo massa de ar frio. Estava muito quente e houve choque entre as massas. Esse choque foi mais intenso. Quanto maior as temperaturas da massa de ar quente no Estado e de ar frio [no oceano], mais intensos serão os ventos. Esse foi o fator principal para a ventania", explicou o especialista.

Segundo Fábio Luengo, o aumento da temperatura da água — 27 graus, cerca de 1,5 grau acima da média — no último fim de semana foi outro fator que interferiu na mudança de tempo e formação da tempestade de vento no litoral paulista.

"A frente fria passou muito rápido, o que ajudou na intensidade dos ventos", complementou o meteorologista ao listar os fatores que resultaram nos ventos atípicos.

Luengo ressaltou também que muitos turistas e banhistas são enganados pelas aberturas de sol que marcam o início de um dia na orla e acabam surpreendidos pelas viradas de tempo na região oceânica.

Nova mudança climática

A previsão espera outra virada do tempo no litoral de São Paulo entre esta quarta-feira (1º) e quinta-feira (2), com chuvas fortes e ventos de 50 km/h, devido à baixa pressão do oceano.

Caroline Bittencourt foi modelo internacional e ganhou espaço na TV: