Coronavírus

Saúde Anvisa tem reunião para obter mais dados sobre o uso da CoronaVac em crianças de 3 a 5 anos

Anvisa tem reunião para obter mais dados sobre o uso da CoronaVac em crianças de 3 a 5 anos

Encontro foi com pesquisadores que estudam segurança e eficácia da vacina em crianças e adolescentes de 3 a 17 anos

  • Saúde | Do R7

CoronaVac já é aplicada em crianças e adolescentes entre 6 e 17 anos

CoronaVac já é aplicada em crianças e adolescentes entre 6 e 17 anos

Divulgação / Governo de SP

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) se reuniu na noite de ontem, quinta-feira (30), com pesquisadores do Curumim Projeto de Pesquisa, para pedir informações sobre os resultados do estudo de eficácia, segurança e imunigenicidade da vacina CoronaVac, contra a Covid-19, em crianças e adolescentes. 

O Grupo de Pesquisa em Vacinas do Hospital Universitário da Ufes (Universidade Federal do Espírito Santo) está acompanhando 1.280 crianças e adolescentes, de 3 a 17 anos, que receberam o imunizante produzido pelo Instituto Butantan.

A agência pediu dados específicos sobre o acompanhamento das crianças de 3 a 5 anos, com o objetivo ver a viabilidade de liberar a CoronaVac para essa faixa etária. O prazo para a resposta solicitada é no dia 11 de julho. 

Há um mês, o Butantan mandou informações complementares para liberar a vacina também para os mais novos. 

Na última terça-feira, foi divulgado um estudo mostrando que desde o começo da pandemia, em março de 2020, morreram em média duas crianças por dia menores de 5 anos por Covid-19. A pesquisa foi feito pelo Icict (Observa Infância, projeto ligado ao Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde) da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz).

Veja dez dicas simples para evitar crises de rinite e sinusite no outono e inverno

Últimas