Saúde Atleta de 16 anos morre apenas 24 horas depois de receber diagnóstico de leucemia

Atleta de 16 anos morre apenas 24 horas depois de receber diagnóstico de leucemia

Os sintomas de Kyle Limper progrediram rapidamente, e o que era uma dor nas costas causou uma rápida falência de múltiplos órgãos

  • Saúde | Do R7

Resumindo a Notícia
  • Kyle Limper morreu apenas 24 horas depois de ter sido diagnosticado com leucemia.

  • O jovem era atleta e sonhava em se tornar um agente do CSI ou do FBI.

  • Em poucas horas, o câncer causou a falência de múltiplos órgãos do jovem.

  • Não houve tempo de descobrir qual era o tipo de leucemia de Kyle.

Órgãos de Kyle Limper foram comprometidos pela leucemia

Órgãos de Kyle Limper foram comprometidos pela leucemia

Reprodução/GoFundMe

Kyle Limper, de 16 anos, morreu apenas 24 horas depois de ter sido diagnosticado com leucemia. O jovem, natural da Filadélfia (EUA), participava de competições de futebol americano, luta livre e atletismo e não tinha sintomas clássicos da condição. 

"Ele era um jovem completamente saudável e feliz, sem nenhum sinal de doença", escreveu a família de Kyle na página de doações do GoFundMe.

Compartilhe esta notícia no WhatsApp

O atleta, que sonhava estudar para se tornar um agente criminal do CSI (Crime Scene Investigator) ou do FBI (Federal Bureau of Investigation), começou a sentir dores nas costas no início deste mês, após um jogo de basquete, e rapidamente seus sintomas pioraram.

Os pais de Kyle chegaram a levá-lo ao pronto-socorro, para descobrir a origem da dor, mas os médicos não encontraram nada. Ao contrário do que esperavam, porém, o quadro do adolescente se agravou. 

"Bem, em alguns dias ele não conseguia nem se levantar. Ele não conseguia nem sair da cama, [fui tentar] ajudá-lo a se levantar, ele caiu de volta na cama", disse o pai de Kyle, Ken Limper, ao canal de TV americano Fox 26.

Após o ocorrido, o jovem foi levado às pressas para o hospital St. Christopher, na Filadélfia, onde os especialistas descobriram que os órgãos do atleta já estavam parando, devido a uma leucemia — uma falência múltipla.

"Foi como um pesadelo", lembra Ken Limper. 

No dia 13 de abril, poucas horas após ter recebido o diagnóstico, e antes de a família ter certeza sobre qual era o tipo de leucemia de Kyle (mieloide aguda ou linfoblástica, por exemplo), o jovem veio a óbito. 

"Ele faleceu pacificamente e foi cercado por pessoas que o apoiavam e amavam", descreveu a família na GoFundMe.

"Eu não desejo esse sentimento ou essa situação a ninguém. É indescritível. Não consigo nem pôr em palavras o que estou sentindo", lamenta a mãe de Kyle, Josephine Taffe.

De acordo com Arif Kamal, diretor de pacientes da American Cancer Society, os doentes, de fato, podem morrer em um tempo curto após o diagnóstico, devido ao estágio avançado da condição.

Possivelmente, os sintomas da doença não foram percebidos pelo jovem, e, por essa razão, o câncer progrediu de forma rápida. 

"Normalmente, os pacientes se sentem esgotados, cansados, dormem muito, podem estar perdendo peso involuntariamente. Mas [é possível que alguém] deixe passar isso, [especialmente se] for um atleta e estiver envolvido em algo ou fazendo algo extenuante", explicou o médico numa entrevista ao jornal inglês Daily Mail.

O especialista ainda acrescenta que alguns tipos de leucemia podem demorar de meses a anos para apresentar sintomas. 

"Eu diria que não seria surpreendente, pela minha experiência, alguém que, digamos, uma ou duas semanas atrás, estivesse bem e tivesse exames laboratoriais [vitais] normais, [viesse a óbito,] pois as coisas mudam rapidamente, em questão de dias", afirmou.

Na leucemia, em específico, o número de glóbulos brancos pode aumentar rapidamente — a doença induz uma produção descontrolada de leucócitos doentes —, o que, possivelmente, fez com que os órgãos vitais de Kyle (coração, fígado, rins e pulmões) parassem de funcionar de modo adequado.

"A leucemia é uma emergência médica, e as pessoas morrem se não recebem tratamento dentro de horas ou de alguns dias", alerta Kamal.

Para Arif, a dor nas costas que Kyle sentia pode ter sido causada por um acúmulo de glóbulos brancos cancerígenos próximo aos nervos ou articulações da medula espinhal. 

Atualmente, a família do jovem está recebendo doações para montar o funeral do filho, mas continuará a levar a positividade de Kyle adiante. 

"Ele queria que todos tivessem uma vida boa. Isso é o que ele estava se esforçando para fazer", disse Ken Limper.

O que você pode fazer para reduzir o risco de ter câncer colorretal

Últimas