Saúde Entenda as diferenças entre os sintomas da Covid e os da gripe

Entenda as diferenças entre os sintomas da Covid e os da gripe

Doenças têm sinais parecidos, como tosse e febre, e apenas por meio de testes clínicos é possível descobrir qual é a infecção

  • Saúde | Da Agência Brasil

Para saber se a infecção é gripe ou Covid, é necessário fazer exame PCR

Para saber se a infecção é gripe ou Covid, é necessário fazer exame PCR

J.L. Cereijido/EFE

Neste fim de ano, em meio à pandemia de Covid-19, cresce no Brasil o número de casos de gripe. As doenças podem ser confundidas, já que os sintomas das duas são semelhantes.

O conhecimento dos sintomas da Covid e a reação diante deles são necessários em razão dos riscos de transmissão da doença. Conforme orientações do Ministério da Saúde, uma pessoa infectada deve, além de procurar atendimento, ficar isolada de outros indivíduos e fazer quarentena durante 14 dias. O prazo pode ser menor, dependendo das diretrizes das prefeituras.

Segundo a infectologista Ana Helena Germoglio, não é possível definir se uma pessoa está com Covid-19 ou com gripe apenas por meio da análise do profissional, chamado no jargão técnico de diagnóstico clínico.

Para a avaliação do quadro de saúde do paciente, é preciso realizar testes. No caso da Covid-19, há diferentes modalidades, como os testes de antígeno ou laboratoriais PCR. Já no caso da gripe, também há distintos tipos de exame.

Por isso, a infectologista destaca a importância de que, diante de sintomas, as pessoas procurem assistência médica para que o profissional possa indicar os procedimentos adequados à realização do diagnóstico.

Gripe X Covid-19

Embora os sintomas sejam bastante parecidos, há especificidades entre as duas doenças. Na gripe, sintomas como febre, tosse seca, cansaço, dores no corpo, mal-estar e dor de cabeça são comuns. Coriza ou nariz entupido e dor de garganta podem aparecer, mas são menos frequentes.

A gripe pode evoluir para casos graves e até mesmo para a morte. Segundo material explicativo do IFF/Fiocruz (Instituto Fernandes Figueira, da Fundação Oswaldo Cruz), a hospitalização e a possibilidade de óbito estão, em geral, vinculadas aos grupos de alto risco. A influenza pode também abrir espaço para infecções secundárias, como aquelas causadas por bactérias.

Na Covid-19, febre e tosse seca são sintomas comuns. Já cansaço, dores no corpo, mal-estar e dor de garganta podem surgir às vezes. A doença tem outros sintomas que, em geral, não são sentidos por quem tem gripe, como perda do olfato e paladar.

A infecção pelo vírus Sars-CoV-2 também pode avançar para quadros mais graves, como evidencia a marca de mais de 600 mil mortes no Brasil. Pessoas nessas situações mais graves ou críticas podem ter forte falta de ar, pneumonia grave e outros problemas respiratórios que demandem suporte ventilatório ou internação em unidades de terapia intensiva.  

“A Covid-19, principalmente agora, provoca muitas queixas de perda de olfato e paladar. A influenza costuma deixar a pessoa mais prostrada, acamada, com dores no corpo, sensação de congestão. Quando a gente compara as duas, a influenza causa muito mais sintomas. Para a gente fechar o diagnóstico, somente com exame laboratorial”, diz Ana Helena Germoglio.

Últimas