Saúde Menina canta com Vitor Kley música que a alegrava na radioterapia

Menina canta com Vitor Kley música que a alegrava na radioterapia

Oncologista afirma que a humanização do tratamento ajuda o paciente a tirar o foco da doença e a responder melhor à terapia medicamentosa

Menina canta com Vitor Kley música que a alegrava na radioterapia

Anna Luiza se emocionou ao cantar música com Vitor Kley

Anna Luiza se emocionou ao cantar música com Vitor Kley

Reprodução/Instagram

A brasiliense Anna Luiza, de 5 anos, está no processo de cura de um meduloblastoma, um tumor que afeta o cerebelo, uma das partes do cérebro, e que teve metástase para a coluna. De acordo com o pai de Anna, Péricles Alcântara, de 30 anos, a filha, antes mesmo de ir ao tratamento para o câncer, já gostava da música "O Sol", do cantor gaúcho Vitor Kley, e durante as sessões de radioterapia, a música a ajudava a enfrentar o isolamento.

Na semana passada, quando Péricles soube que teria um show do cantor na sua cidade, entrou em contato com a produção do evento e, no domingo (17), Anna e seu irmão, Davi, de 6 anos, subiram no palco e cantaram a música com Kley. Segundo Alcântara, o momento em que a filha começa a chorar cantando é um choro de alegria, e o momento a ajudou e com o tratamento e a alegrou.

Leia também: "Acolhimento é determinante", afirmam pacientes com câncer

"Ela está feliz até agora. Ela pareceu melhor, a alimentação melhorou. Isso deu um ânimo maior para ela", afirma Alcântara.

Segundo a oncologista pediátrica Carlota Blassioli, do Hospital do GRAACC (Grupo de Apoio ao Adolescente e a Criança com Câncer), a humanização do tratamento, que pode ser desde uma brinquedoteca, visita de voluntários, visita de cães voluntários e encontros com artistas, como foi o caso da Anna, modifica a vida do paciente, já que essas ações visam tirar o foco da doença e trazer momentos de alegria para o paciente.

Saiba mais: Câncer em jovens e crianças é mais agressivo, mas taxa de cura é maior

A oncologista afirma que a humanização ajuda o paciente a enfrentar o tratamento, que é longo e intenso. Com a alegria e melhora de um ambiente que parece hostil, a humanização melhora o sistema imunológico dessa pessoa e ajuda também na melhora da resposta ao tratamento para a doença.

Além de fazer o paciente se sentir melhor naquele ambiente, Carlota afiema que essas ações fazem com que o paciente vá mais contente ao hospital, seja mais pontual nas consultas e melhora a relação entre médicos e pacientes.

Veja abaixo o vídeo de Anna cantando com Vitor Kley:

Visualizar esta foto no Instagram.

Então, gostaria de agradecer a todos pelo carinho com a Anna, nos ficamos muito feliz com todas as mensagens... Resumindo a historia da Anna de uma forma mais correta, foram 02 meses de investigações antes de descobrirmos a doença da Anna... Ela tinha vômitos e dores de cabeca constante, levamos em varios médicos e sempre saimos com diagnóstico (sinusite, lariginite, faringite...) nunca iriamos desconfiar quennossa filha de 04 anos na época, com sobrepeso poderia vir a ter uma doença dessas... Em 10 de maio do ano passado (2018), por achar que ela tinha algum problema alimentar, fomos a uma gastro pediatra @gastropedbsb que foi nosso anjo e percebeu que havia algo errado com a Anna... Ela pediu uma tomografia de cranio, por achar a Anna um pouco lenta nas respostas e com um olho mais caido que o outro... No dia 14 maio ela fez a tomografia e no dia 19 a mae da Anna luisa pegou o resultado, como eu tinha uma prova de concurso ela so me contou no dia seguinte, dia 20 logo apos minha prova, rla foi até minha casa e me contou que a Anna tinha um tumor na cabeça, meu mundo veio abaixo e eu não podia acreditar nas palavras dela... Me lembro muito bem daquele dia, 20 de maio de 2018... Logo apos enteder un pouco melhor, fui ate uma distribuidora bebi o que tinha pra beber, chamei meus amigos mais próximos e fiz uma promessa, na qual permaneço fiel ate hoje, a partir daquele dia eu ficaria 01 ano sem beber, e so cuidando da minha filha que precisaria muito de mim... No dia seguinte dia 21 de maio fomos ate o médico da fernanda Dr. William no hospital santa marta em Taguatinga... Dentro da consulta ele falou que o caso era sério e que se pudesse operava no mesmo dia... A Anna do lado de fora do consultório vomitando, ele falou que em um desses vômitos poderiamos perder a Anna... No dia 21 mesmo ela internou no santa marta e foi transferida para o hospital hospital São Francisco na ceilandia, dia 22 ela fez uma ressonância e no dia 23 de maio de 2018 num cirurgia de mais de 8 horas ela fez dois procedimentos, o implante de uma válvula na cabeça para drenar o líquido e a retirada do tumor no tronco cerebral... A cirurgia foi um sucesso ela não teve sequelas nenhuma...

Uma publicação compartilhada por Péricles Alcântara (@peri2710) em

*Estagiária do R7 sob supervisão de Ingrid Alfaya

Existe a pílula do câncer? Veja mitos e verdades sobre a doença: