Saúde Ômicron se espalha em velocidade sem precedentes, diz OMS

Ômicron se espalha em velocidade sem precedentes, diz OMS

Chefe da organização explica que, além de vacinação, é preciso utilizar todas as formas anti-Covid existentes

AFP
  • Saúde | por AFP

Chefe da OMS diz que, apesar de casos leves, Ômicron pode sobrecarregar sistema de saúde

Chefe da OMS diz que, apesar de casos leves, Ômicron pode sobrecarregar sistema de saúde

Dado Ruvic/Reuters

Nenhuma variante da Covid-19 até agora se espalhou tão rapidamente quanto a Ômicron, alertou a OMS (Organização Mundial da Saúde) nesta terça-feira (14), lembrando que a maioria dos países já foi afetada.

"Atualmente, 77 países relataram casos de Ômicron, mas a realidade é que a Ômicron provavelmente está na maioria dos países, embora ainda não tenha sido detectada. Ela está se espalhando a uma velocidade que não vimos com nenhuma outra variante", disse Tedros Adhanom, diretor-geral da OMS, em uma entrevista coletiva.

"Estamos preocupados com o fato de que as pessoas considerem a Ômicron leve (...) Embora a Ômicron cause doenças menos graves, o número de casos pode sobrecarregar novamente os sistemas de saúde despreparados", acrescentou.

O chefe da OMS também alertou a comunidade internacional de que as vacinas por si só não vão permitir que nenhum país saia desta crise, e pediu que se valessem de todas as medidas anti-Covid existentes, como o uso de máscara e o distanciamento social.

"Façam tudo isso. Façam isso de forma coerente, façam bem", insistiu.

Tedros também enfatizou que vários países aceleraram a aplicação de doses de reforço na população adulta após o surgimento da variante Ômicron, mesmo "sem termos evidências sobre a eficácia das doses de reforço contra essa variante".

Com essas medidas, a OMS teme que os países ricos voltem a acumular os imunizantes e as nações mais pobres não consigam avançar em suas campanhas de vacinação.

“Serei claro: a OMS não é contra as doses de reforço. Somos contra a injustiça” nas vacinas, enfatizou o diretor da OMS.

Últimas