Saúde SP: Campanha encerra na sexta com 1 milhão sem vacina da pólio

SP: Campanha encerra na sexta com 1 milhão sem vacina da pólio

Mais de 50% do público-alvo, que são crianças entre 1 ano e menores de 5 anos, ainda não se vacinaram contra a paralisia infantil no Estado de SP

  • Saúde | Do R7

A campanha de vacinação contra a poliomielite e de multivacinação termina nesta sexta-feira (13) no Estado de São Paulo. Cerca de 1,1 milhão de crianças menores de cinco ainda precisam ser vacinadas contra a paralisia infantil, ressalta a Secretaria Estadual de Saúde. Isso representa mais de 50% da meta da campanha. 

Para alcançar a cobertura vacinal de 95%, que garante o controle da doença, erradicada no país desde 1989, é necessária a vacinação de 2,1 milhões de crianças nessa faixa etária. 

Leia também: Saiba mais sobre o câncer que afeta o marido de Ana Hickmann

A secretaria destaca que a meta da campanha também está baixa para a multivacinação. Desde que teve início, em 2 de outubro, 641,8 mil crianças e adolescentes de 5 a 14 anos compareceram aos pontos para atualização da carteira vacinal. Destes, 293,5 mil tiveram vacinas aplicadas, o que representa 45,7% da meta da campanha.

Vacina contra a poliomelite

Vacina contra a poliomelite

Marcelo Camargo/Agência Brasil

O objetivo das campanhas é aumentar a cobertura vacinal e atualizar as cadernetas, mas vale ressaltar que as vacinas permanecem disponíveis nos postos durante o ano todo, não apenas durante a campanha. 

Desde 2016, o esquema vacinal contra a poliomielite é de três doses da vacina injetável aos 2, 4 e 6 meses, além de duas doses de reforço da vacina oral entre 15 e 18 meses e aos 5 anos de idade, de acordo com o Ministério da Saúde.

Na campanha de multivacinação, são oferecidos 14 tipos de vacinas que protegem contra 20 doenças: BCG (tuberculose); rotavírus (diarreia); poliomelite oral e intramuscular (paralisia infantil); pentavalente (difteria, tétano, coqueluche, hepatite B, Haemophilus influenza tipo b - Hib); pneumocócica; meningocócica; DTP; tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola); HPV (previne o câncer de colo de útero e verrugas genitais); além das vacinas contra febre amarela, varicela e hepatite A. Além disso, neste ano, também passou a integrar o SUS uma nova vacina, já inserida nesta campanha: Meningo ACWY, que protege contra meningite e infecções generalizadas, causadas pela bactéria meningococo dos tipos A, C, W e Y.

A tabela completa com a relação das vacinas está disponível neste link.

Últimas